Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 07, 2018 8:49 pm

Você já tem noção de quanto permaneceu no poder, naquela oportunidade em que foi levado a ocupar um posto que era provisório?
— Ainda não me lembro exactamente da extensão, mas sei que muito fiz para nunca de lá sair!
— Deixemos de pensamentos que poderão preocupá-lo, pelo que ainda há-de ser verificado, e voltemos ao que viu hoje!
Há ainda algum detalhe sobre o qual desejaria falar?
— Sim, irmão!
Quem sabe posso tê-los a meu favor!
— Pois então fale!
— Foi o facto de que, muitas das reivindicações que foram a causa principal das ocorrências em São Paulo, tive que atender.
O povo todo reclamava, e alguma coisa deveria ser feita em favor deles.
— E o que o irmão realizou?
— Providenciei para que eleições fossem marcadas, e assim o Estado estaria satisfeito com um governador eleito pelo povo.
Providenciei para que fosse eleita uma Assembleia Constituinte a fim de promulgar uma nova Constituição!
Assim, sem que fossem os vencedores, dei-lhes algumas das regalias que desejavam.
As eleições foram realizadas, tiveram um governador paulista, e a nova Constituição promulgada.
— E o que aconteceu depois que essa Constituição foi promulgada?
— Passei de governo provisório a Presidente eleito pela assembleia.
— Veja você que continuamos com o que vínhamos conversando até agora — o seu medo maior de perder o poder!
— Mas o senhor disse que para isso há uma razão!
— Que não fazia parte de sua planificação, e nem pode ser alegada como atenuante para seus actos!
— O que faremos agora?
— Já colocou tudo o que precisava?
— O senhor sabe que não!
Revimos alguns factos, mas muitos outros importantes ficaram sem ser aludidos por nós!
— E quais foram?
— Apesar de ser solícito e bondoso comigo, às vezes sinto que é meu julgador!
— De modo algum faria isso! Já o disse, todos nós erramos muito na Terra, e não estou aqui para julgá-lo, apenas para auxiliá-lo, e não poderia fazê-lo de outra forma!
Se factos permanecerem esquecidos ou adormecidos, sem que deles fale, não irá diminuir a sua responsabilidade, se realmente a tiver!
Este é o meu trabalho, e quero ajudá-lo o melhor possível!
Do momento em que expuser o que está no seu íntimo, em forma, não só de lembranças, mas de imagens que viu, estará fazendo um bem a si próprio!
Já conversamos sobre isso!
Quando reconhecemos os nossos erros, eles se tornam menores, porque já temos capacidade para admitir que erramos!
— O que desejo falar ainda é sobre o tratamento dado a muitos dos que se revoltaram, sejam os aprisionados na rebelião de São Paulo, sejam trabalhadores desempregados, e, de modo muito mais intenso, àqueles comunistas que pretendiam desmerecer os meus actos, promovendo desordens.
Era o que faltava, cujas lembranças me ocorreram.
— Pois muito bem! Penso que a tarefa de hoje está terminada!
Se quiser retornar, poderemos entrar, mas ainda quero dizer-lhe que os actos praticados por nós, quando encarnados, você sabe, ficam todos registrados!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 07, 2018 8:49 pm

A nosso favor, quando os realizamos de forma nobre, com espírito de caridade, justiça e amor; em nosso prejuízo, quando visamos ao próprio interesse, na satisfação do orgulho, da vaidade e do egoísmo!
No entanto, podemos nos dirigir a Deus, e pedir-lhe que nos dê a compreensão para errar menos e, no futuro, nunca mais errarmos, e que os actos praticados, contrários às suas leis, possam nos servir de exemplos, a fim de aprendermos a nos desfazer dessas imperfeições.
Ele sempre tem um consolo para cada um de nós, para que nossas faltas sejam, não perdoadas, porque o tribunal que cada um tem montado dentro de si não o permitiria, mas atenuadas, através do auxílio que dispensarmos aos irmãos infelizes, realizando um trabalho no bem.
— E o que eu poderei realizar para desfazer o que pratiquei de mal?
— Por enquanto é pedir a Deus que o encaminhe para ressarcir os seus erros, mas, no momento, ainda deverá terminar todo esse trabalho que está realizando, como levantamento de todas as suas acções.
Após, então, Ele saberá encaminhá-lo a uma tarefa redentora!
A conversa foi encerrada, o orientador entendeu que o dia havia sido desgastante ao irmão, por tantas imagens revistas e tantas lembranças.
Quando retornavam aos seus compartimentos para o repouso, ao passar novamente pelo jardim florido, Getúlio fez uma observação:
— Irmão José, penso que nunca mais poderei passar indiferente por uma flor, ou mesmo admirá-la, sem pensar nas suas palavras!
Se aprendêssemos a ver em tudo o que nos rodeia a criação de Deus, o nosso coração seria mais sereno, não praticaríamos tantas maldades, porque a fé, a confiança n'Ele, fariam de nós criaturas melhores.
Não teríamos tempo para tantas lutas por conquistas insignificantes para a vida do Espírito!
— Muito bem, fico contente que tenha aprendido a lição, e cada vez que observar uma flor, não se lembre de minhas palavras, mas da magnanimidade do Criador do Universo!
Continuaram o caminho, porém, Irmão José ainda tinha trabalho no seu gabinete, enquanto Getúlio repousasse, e, ao despedir-se recomendou-lhe:
— Procure repousar, sem pensar em nada do que conversamos!
Amanhã retornaremos ao trabalho, e muitos factos irão se acumulando.
— Tentarei não me lembrar de nada!
— Um bom remédio para isto é a oração!
Ore a Deus, que receberá o conforto de que necessita!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 07, 2018 8:50 pm

SONHO OU REALIDADE
Irmão José dirigiu-se ao seu gabinete de trabalho, sentou-se, e ligou aquela aparelhagem que tinha sobre um dos lados de sua mesa.
Rememorava a pergunta de Getúlio, quando quis saber o porquê de ter se apaixonado tanto pelo posto que ocupara, a ponto de mover tantos recursos para não deixá-lo.
Desejava ver novamente o que já sabia, não para ter a confirmação, mas rever situações que explicassem melhor o que se passava com ele.
Nada ainda poderia lhe ser mostrado!
Contudo, chegaria a hora em que ele próprio teria necessidade de saber, porque, naquelas imagens, estava a explicação de muitos fatos ocorridos em sua vida.
No momento certo lhe seriam mostrados, e, quem sabe, no desvendar de tudo, ele próprio se recordaria, pois que o Espírito tem a capacidade de abranger suas encarnações anteriores e, muito do que lhe sucedeu, e muito do que ele próprio realizou ou sofreu, tinha base em encarnações precedentes, como quase sempre acontece.
Irmão José apenas olhou, verificou, reflectiu, mas logo em seguida desligou o aparelho e dirigiu-se ao seu repouso também!
Na manhã seguinte tornaram a encontrar-se, no mesmo local, para as actividades do dia.
— Conseguiu repousar, irmão?
— Após as orações que me recomendou fizesse, adormeci e pude descansar, livre de preocupações, mas sonhei e foi um sonho um tanto estranho!
— O que foi que você sonhou?
— Que estava num país distante, que não pude precisar qual fosse, mas vestia trajes diferentes, à moda bem antiga, como conhecemos através da história, ou mesmo lá na Terra, através de filmes.
— Continue! Tem mais a me dizer?
— Sim, vi-me naquele país, com uma coroa de rei e um ceptro nas mãos, tendo ao meu redor todo um séquito que me servia, e que eu tratava com mãos de ferro! Senti que era mau!
— São apenas sonhos, não é mesmo, e não deve se preocupar com eles!
Temos o nosso trabalho para desenvolver na manhã de hoje, e sonhos são sonhos!
— O senhor não poderá me dizer nada a respeito dele?
— Quem sabe um dia possamos conversar sobre sonhos, também, mas não devemos nos extraviar do nosso objectivo!
Depois, sim, teremos tempo para muitos assuntos!
— Vamos, então!
Assentaram-se no lugar de costume, o rapaz accionou o aparelho e as imagens começaram a se suceder.
Getúlio mantinha-se como sempre, calado e muito atento à sua imagem ali exposta, às imagens de muitos dos seus companheiros que o ajudaram, de muitos que o perseguiram, e, em tudo, verificava o povo, como pano de fundo.
Ao terminar a tarefa do dia, Irmão José perguntou-lhe:
— O que me diz de tudo o que viu?
— Hoje, me sinto um pouco mais animado!
Vi que o povo estava mais feliz com minhas determinações.
Os trabalhadores sentiam-se mais amparados pelos direitos que adquiriram, através da Constituição promulgada em 1934.
Alguma coisa pôde ser feita, desde que a revolução paulista terminou, até esse período que acabamos de ver.
Fico feliz, porque não vimos só actos indevidos!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 07, 2018 8:50 pm

Verifiquei que, a partir da Constituição, o povo teria um amparo maior.
Muitas leis foram promulgadas baseadas nela, e tudo pareceu-me caminhar melhor.
O que o senhor me diz?
— Nem tudo são actos desumanos, não é verdade?
Sempre algum bem se propicia àqueles que esperam muito de um governo, e, esse período, reconheço, foi um início, para que, particularmente os trabalhadores, tivessem um amparo, e exercessem suas actividades apoiados em leis que os protegessem, dando-lhes assim maior segurança!
— O senhor viu também que as eleições se realizaram da maneira mais correta, de acordo com o Código Eleitoral instituído no meu governo.
A criação da Justiça Eleitoral proporcionou ao País uma eleição mais adequada e honesta.
— Sim, verifiquei, irmão!
— A Justiça do Trabalho também foi um grande bem aos trabalhadores, pois teriam quem os defendesse de patrões desumanos.
— Hoje, então, vejo que está mais contente e não precisa da minha companhia para ouvi-lo!
Noto que seu entusiasmo foi tanto, que, antes mesmo de nos havermos retirado, já demonstrou a sua satisfação!
— É verdade!
Em meio a tanta tristeza que tinha observado, pude realizar algum bem em favor de uma classe tão importante a uma Nação — os trabalhadores!
— Podemos nos retirar, então?
— Sim, como o queira!
— E o que fará hoje, no resto de seu dia?
— Posso fazer-lhe um pedido?
— Fale!
— Não poderia fazer uma visita a Darci e levar-lhe a surpresa de minha presença?
— Sinto dizer-lhe, mas ainda não o pode!
Logo ela estará de volta para vê-lo!
Utilize o tempo para ler, aprimorar seus conhecimentos!
Vá à Biblioteca ou passeie!
Há muito em que se aplicar para o seu próprio aprimoramento!
Todo o tempo que tivermos disponível, e não utilizarmos para nós, estaremos desperdiçando oportunidades valiosas para o nosso progresso espiritual!
Do conhecimento é que advém o adiantamento, pois passamos a agir com a convicção de nossas responsabilidades!
— Farei isso!
Irei à Biblioteca e o deixarei tranquilo para as suas actividades!
— Se precisar, sabe onde me encontrar, que sempre estou às suas ordens!
Hoje ainda tenho uma entrevista com o nosso Mentor, e aproveitarei esse tempo para isso.
Que Deus o acompanhe e que toda a sua leitura seja realizada com o coração e a mente aberta, para absorvê-la toda, para o seu próprio bem!
Irmão José, assim que lhe foi possível, foi ao gabinete de Irmão Fabrício para lhe falar.
Os dias necessários às primeiras observações e acompanhamento do irmão Getúlio, já se haviam findado e tinha, conforme o combinado, que notificar Irmão Fabrício de como esse período estava se desenvolvendo, e como aquele Espírito estava se portando.
Chegou até à porta, bateu, tendo ouvido que deveria entrar.
— Que Jesus o abençoe em seu trabalho connosco, e sempre o ampare, para que suas realizações sejam as melhores possíveis, e agradáveis ao Senhor!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Dez 07, 2018 8:50 pm

— Obrigado, irmão, por esta saudação tão bela!
Procuro realizar as tarefas conforme me instruiu, e tenho acompanhado Getúlio, não só na visualização de sua vida, como também, após, quando é necessária uma orientação, um apoio.
— Muito bem, você já me adiantou alguma coisa do que iria lhe perguntar, e agora só me resta saber como ele tem se portado diante do que tem visto.
— O senhor sabe que ao vermos à nossa frente as nossas realizações, e ao termos consciência do que prometemos, nem sempre ficamos satisfeitos por averiguar que os planos se afastaram da concretização na Terra.
— Isto é verdade!
Mas quando aqueles que estão nessa actividade conseguem perceber a distância entre as promessas e as realizações, já há algum progresso!
— Ele tem percebido bem isso, tem se preocupado e entristecido até, pelo que vê, pelo que recorda!...
Nesses momentos, eu o tenho acompanhado em suas reflexões posteriores à visualização, como, também, sustentado e orientado dentro do que me é possível, de acordo com os meus conhecimentos!
— Isto mesmo! Faça-o, pois, sempre que puder!
Anime-o, estimule-o para que chegue até o final, porque o irmão sabe o quanto ele permaneceu no seu posto e o que fez para permanecer, e com isso os compromissos que assumiu!
— Sim, estou a par de tudo, e tenho me esforçado a fim de que ele não fique muito abalado, mas sempre fazendo-o ver a sua responsabilidade, mesmo que às vezes ele procure encontrar uma justificativa para algum ato infeliz.
— Continue na sua abençoada tarefa!
Creio que, de nossa parte, estamos conseguindo ajudá-lo!
— Está bem!
Mas antes de me retirar, quero notificá-lo de algo que ele me contou pela manhã!
— O que foi de tão importante?
— Quando chegamos, disse-me que havia sonhado e, contando o sonho, não sei se me preocupei, ou se já era hora de que ele fosse tendo algum vislumbre do seu passado mais remoto!
— O que sonhou o nosso irmão?
— Disse que se vira na envergadura de um rei muito mau, num país distante!...
— Isso é muito bom!
E o seu próprio Espírito que já está podendo vislumbrar o que deve lhe ser mostrado claramente, no momento adequado!
São imagens que fazem parte do seu armazenamento, e, quando as visualizar, não ficará chocado, mas compreenderá o porquê de muitos dos seus actos!
— Foi isso mesmo que pensei!
— Pode ir, agora, e deixe-o livre, hoje, de mais preocupações, para que se distraia e repense!
Você sabe que temos de protegê-lo e ampará-lo!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:25 pm

ELUCIDAÇÕES VALIOSAS
Na manhã seguinte, o trabalho foi retomado.
Os factos começaram a desfilar à frente de Getúlio, e muito ele viu...
A Constituição de 34 favorecendo a acção dos comunistas e integralistas; os reflexos, aqui, dos acontecimentos na Europa, estimulando os seus mais íntimos desejos — a sua perpetuação no poder.
Viu as lutas tão violentas dos integralistas com os comunistas, a união mais intensa dos integralistas ao governo.
As manobras realizadas por ele para frustrar a revolta comunista...
Verificou ainda a repressão levada a efeito, nessa ocasião, como forma de mostrar ao povo que ele estava atento àqueles que desejavam prejudicar o bom andamento do governo.
Foi um período difícil que deixou atrás de si muitas mortes, muitos presos e muitos desterrados.
Getúlio verificou tudo sem nada dizer, e o aparelho foi desligado, a pedido de Irmão José, que reconheceu terem visto o suficiente.
As imagens do dia haviam sido por demais agressivas e chocantes! Getúlio ali permaneceu, de cabeça baixa, silencioso, mas foi chamado pelo seu benfeitor que o convidou para se retirarem.
—Vamo-nos! Um pouco de ar puro far-lhe-á bem! Vamos!
Getúlio, obediente, levantou-se e deixaram a sala.
— O que pretende fazer? — perguntou-lhe o seu orientador e amigo.
— Não sei! Só lhe peço que não me deixe sozinho!
— E onde pretende ir, onde quer ficar?
Deseja apenas a minha companhia ou precisa falar?
— Ainda não sei!
Fique comigo e leve-me onde desejar, depois eu verei!
Se sentir necessidade de falar, eu falarei!
— Quando temos problemas, o melhor é falar deles com alguém que possa nos ouvir de modo fraterno e amigo, procurando compreender-nos!
— Eu sei disto! Como fui permitir que tantas atrocidades fossem praticadas?
— Você sabe porque o permitiu, não é mesmo?
— A que preço pude conseguir o que desejava!
Sinto agora que devo pagar pelos meus actos, um preço muito alto!
Terá valido a pena tanto empenho da minha parte?
Eu tanto arquitectei, tanto permiti, apenas para não perder uma posição que me fascinava!
— Penso que não devemos conversar, aqui!
Vamos a algum lugar!
Pretende que saiamos ao ar livre, ou quer ir à minha sala?
— Acho que lá fora me sentirei um pouco melhor, com o ar puro, a paisagem!...
— Vamos, então!
A Natureza é amiga, e permite, ao seu contacto, liberarmos o peso que trazemos connosco, pelo revigorar de nossas energias.
— Pois então vamos!
Quando passeavam entre as flores do imenso jardim, Getúlio, pensativo, Irmão José falou-lhe:
— Respire profundamente esse ar puro que é todo nosso, e seu coração irá se acalmando!
Sabe que em tudo isso sinto-me feliz.
Alegro-me ao ver o seu abatimento por concluir que não agiu correctamente.
— E o senhor sente nisso motivo de alegria? Alegrou-se com o meu sofrimento?
— Sim, mas não como pensa!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:25 pm

Não sou insensível ao sofrimento alheio; pelo contrário, sensibilizo-me muito e tenho desejo de ajudar!
O que eu quero dizer é que me sinto feliz porque, se as imagens o chocaram, se o seu comportamento o constrangeu, a ponto de fazê-lo sofrer, é sinal que já fez algum progresso!
Fale, irmão, o que deseja, comente algum facto que viu, alguma de suas acções ou de seus comandados!
— O senhor sabe que os comandados agem, às vezes, muito mais intensamente que as próprias ordens recebidas, e parece, pelo visto, que os meus se excederam muito!
Mas a responsabilidade de tudo, eu sei, é minha, eram meus auxiliares e, se eu os tivesse reprimido, não continuariam.
Penso que naquela época eu também concordava com eles e até os estimulava.
Todas as realizações tiveram a minha aquiescência e o meu estímulo!
Estive sempre ciente do que se realizava naquela ocasião, e entendia que tudo estava saindo melhor do que eu próprio esperava.
O ambiente externo do palácio contribuía para o que, no seu interior, se planeava, e o senhor sabe o que é!
— Sim, sabemos muito bem, e compreendo agora as suas preocupações, porque sente a responsabilidade, não só de seus actos, mas de todos os que agiam sob o seu comando!
— Sempre somos responsáveis pelos actos que praticamos, ou que outros praticam impulsionados por nós, não é assim?
— Vejo que a nossa convivência, as leituras, as prelecções que tem ouvido, muito têm contribuído para a sua conscientização de nossas responsabilidades, como Espíritos eternos!
— Eu tenho aprendido bastante, mas quero fazer-lhe uma pergunta, se me permitir!
— Quantas desejar! Se puder, responderei com muita satisfação!
— Foi me dito e de alguma coisa recordei, que já estive nesta Colónia, antes dessa minha última encarnação na Terra, não é isso?
— Sim, você mesmo pôde comprovar, e, conquanto eu não o tenha conhecido naquela oportunidade, porque aqui não me encontrava, temos, nos arquivos, tudo registrado!
— Pois então, se aqui estive, se pude preparar o plano que realizei para desenvolvê-lo na Terra, se obtive a aprovação e a permissão de levá-lo comigo, por que houve tantas falhas?
Será que eu ainda não estava preparado, naquela ocasião?
Não tinha eu os conhecimentos e o aprendizado que estou tendo agora, para saber da responsabilidade que levava comigo, e que por ela teria que responder, se não a cumprisse correctamente?
— Penso que poderei lhe explicar tudo o que o angustia agora!
— Pois então o faça, por gentileza, que tenho me preocupado muito, ultimamente, à medida que tomo consciência do que realizei como encarnado!
— Quando nos encontramos no Mundo Espiritual, como Espíritos livres, adquirindo conhecimentos, estudamos, preparamo-nos, somos aconselhados e prometemos muito, entusiasmados e apoiados em nossa vida aqui, livres de tantas imperfeições que existem ainda na Terra.
Mas, quando para lá somos levados pela encarnação, quando tomamos um corpo físico, que será o instrumento das nossas acções, tudo se modifica!
— Por que isso acontece?
Então essa preparação que fazemos, de nada nos adianta?
— Não disse isso!
Quando lá estamos, convivemos com tantos atractivos, com tantas ilusões, e nos deixamos levar por aquilo que ainda trazemos de imperfeito em nós.
Se a nossa vontade não for firme, nos deixaremos arrastar, não pelos outros, mas por nós próprios, pelas falhas que ainda o nosso Espírito carrega, às quais não foi suficientemente forte para reagir.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:25 pm

É muito mais fácil nos deixarmos seduzir pelo que nos rodeia, satisfazendo-nos o egoísmo, o orgulho, e a vaidade, que lutarmos contra esses males, e passarmos ilesos por eles, sobretudo quando uma planificação abrange uma nação inteira, como foi o seu caso!
— Estou compreendendo!
— Quando para lá vamos, nos esquecemos de tudo o que aprendemos e de todos os nossos propósitos, mas isso ocorre, se não tivermos firme a vontade, para, em forma de intuição e impulsos nobres, cumprirmos a nossa tarefa.
— É isso, então?
— Se assim não fosse, não haveria progresso espiritual, porque sempre retornaríamos ao mesmo ponto e reincidiríamos nos mesmos erros a que o orgulho e o egoísmo nos levaram!
— É muito difícil!
— Sim, é muito difícil, por isso é que são provas pelas quais devemos passar, como os estudantes nos bancos escolares.
Se nos sairmos bem, seremos aprovados pelo Pai Maior, e, de degrau em degrau, promoveremos a escalada do progresso, e um dia estaremos mais próximos d'Ele!
— Ah, como fui fraco, então, nessa minha última encarnação!
— Não diga isso!
Todos nós temos as nossas fraquezas, mas, em meio a elas, também progredimos um pouco!
Sempre realizamos alguma coisa boa!
E você, a par de seus erros, também fez bastante!
Se não realizou tudo o que poderia, o que havia planejado, sempre alguma coisa boa ficou, por sua iniciativa, em favor do povo.
Pense nisso, também!
Se nada tivesse feito, você, talvez, aqui não estivesse, não teria todo o amparo que teve e a protecção que está recebendo agora!
— Mas eu tenho sofrido muito!
Agradeço a Deus o que têm me proporcionado aqui, em atendimento, desde que cheguei tão inconsciente de mim mesmo, mas, à medida que a conscientização toma conta de mim, sinto um desconforto muito grande e tenho sofrido!
— Sempre sofremos, quando nos desviamos dos próprios objectivos!
Você passará por todo esse período, e depois outro tratamento deverá ser realizado de forma diferente e instrutiva; aprenderá muito e fortificará, com o aprendizado, o seu Espírito, em suas convicções, e também desenvolverá uma actividade em favor dos que necessitam!
Isso o ajudará muito!
Veja o meu exemplo!
Estamos conversando, mas, para mim, apesar de ser uma satisfação muito grande estar ao seu lado, acompanhá-lo nesta etapa, é um trabalho que realizo!
Aqui não há inactivos, todos devem trabalhar de alguma forma!
O que realizamos em favor dos outros, em primeiro lugar estaremos realizando para nós próprios!
— Devo agradecer a Deus a companhia que me faz, pois me auxilia neste período tão difícil!
O senhor tem sido o meu apoio, o meu amigo, e, muito mais que um orientador, tem me amparado com seus ensinamentos e suas palavras, sempre de muita compreensão!
— Fico feliz que se sinta bem em minha companhia, assim o nosso trabalho será muito mais benéfico a nós ambos!
Creio que já é hora de voltarmos!
Estamos aqui há um bom tempo, você aliviou o seu coração, e agora se sente melhor, não é mesmo?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:25 pm

— Estou mais confortado, sim, mas sei o que me aguarda nas próximas imagens, e estou preocupado!
— Dê a cada dia a sua tarefa, e não se preocupe com temores e receios antecipados!
Esperemos até o dia de amanhã, e, se não se sentir disposto, não há mal nenhum que não façamos o trabalho!
Podemos adiá-lo às vezes, se isso for necessário e lhe fizer bem!
— Pelo contrário, como já lhe disse, quero, se possível, terminar de uma vez!
— Está bem!
Amanhã, continuaremos, e tranquilize-se!
Não pense no que virá!
Peça a Deus que o ampare e o auxilie a enfrentar tudo com serenidade, mente e coração pacificados, e o trabalho será, assim, melhor aproveitado!
— Vou me esforçar e orar bastante!
— Entremos, então!
Pelo transcorrer dos acontecimentos, factos importantes e decisivos na vida de Getúlio, lhe estavam reservados para o dia seguinte.
Defrontar-se-ia com problemas chocantes, por estar, agora, afastado daquele ambiente onde as fraudes e os conchavos eram realizados com propósitos menos dignos.
Mas, aguardemos até o momento em que tudo, naquela admirável tela, fosse visualizado, embora os acontecimentos já fizessem parte da tela mental do nosso irmão, que os recordava como actos torpes!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:25 pm

O GOLPE CONTRA SI PRÓPRIO
O repouso é sempre um auxiliar para suavizar os nossos problemas — parecem se acalmar e ficar menores...
Assim Getúlio, na manhã seguinte, despertou mais calmo e decidido.
Não seria a visualização dos factos que lhe diminuiria a culpa. Tudo já fora realizado, e apenas lhe aumentaria o remorso e a tristeza!
Dirigiu-se à sala tão sua conhecida, encontrando o Irmão José, que o recebeu fraternalmente, indagando-lhe:
— Então, meu amigo, como passou a noite? Conseguiu descansar?
— Sim, orei e pedi a Deus, pelo menos o conforto do repouso, para me afastar das lembranças, e pude dormir!
Acordei mais tranquilo!
— Está disposto a começar?
— Sim, o mais rápido possível!
Novamente colocaram-se diante do aparelho e as imagens foram se sucedendo, uma após outra, desde o momento em que haviam interrompido na véspera, após a revolução de 1935, até a instalação do Estado Novo, em 1937.
Tudo consumado, atingido o clímax de uma longa preparação sorrateira e muito bem trabalhada, e ele — Getúlio Vargas, o Presidente-Ditador de uma Nação com tantos problemas a serem solucionados, apresentando-se como o seu salvador.
Aquele que resguardava os anseios da população, da terra que amava, usando de todos os recursos para continuar no poder, eliminando qualquer possibilidade de um governo eleito pelo povo.
Quando o trabalho daquela manhã foi interrompido, Getúlio pediu ao Irmão José para recebê-lo em sua sala, pois sentia necessidade de falar sobre o que vira e recordara.
Aquele período fora muito importante em sua vida.
O bondoso orientador, sempre pronto a ouvi-lo, atendeu a sua solicitação e, assim que se acomodaram, Getúlio começou dizendo:
— Querido irmão, sabe do que preciso!
Sabe que não prescindo da sua companhia, do seu aconselhamento, das suas palavras de orientação que me asserenam...
— Pois fale, o que o preocupa tanto hoje?
— Pelo que acabamos de ver, diante das minhas responsabilidades lá na Terra, como Presidente de uma nação, o meu Espírito granjeou os maiores compromissos!
— Por que tem esse sentimento?
O que quer dizer com isso?
— O senhor não compartilha dessa minha conclusão?
— Por enquanto eu nada direi, devo ouvi-lo primeiro!
Tudo que partir de você mesmo, em conclusões, após as análises, lhe será muito mais benéfico ao Espírito!
Já lhe disse, não estou aqui como julgador e nem me cabe apontar-lhe nada, ainda que o irmão mesmo o faça.
Depois, sim, comentarei alguns pontos, se houver necessidade.
— Hoje senti-me, diante do que realizei, o último dos homens sobre a face da Terra!
— E o que o levou a tal julgamento?
— O senhor estava lá e viu o que preparei, organizei e fiz, apenas com uma única finalidade!
— Sim, vi tudo!
Mas fale sobre o que mais o preocupa!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:26 pm

— Como pude, naquela época, conseguir que quase uma nação inteira me apoiasse num ato tão sórdido como o que praticamos!
Usamos de artifícios criados por nós, utilizamos de forma aterradora situações que poderiam, se bem dirigidas, ter sido solucionadas de forma fácil.
Tudo foi preparado para que o fim colimado fosse atingido!
— Noto que você começou a falar não mais na primeira pessoa do singular, mas está usando o "nós"!
— Sim, o conluio era mais amplo que apenas a minha mente!
Para o ato final que verificou, tive o auxílio de muitos que me ajudaram, não só a conseguir, mas a arquitectar!
Não era apenas uma cabeça pensante, mas diversas!
O senhor viu as reuniões mais ou menos secretas que realizávamos, para arquitectar e planificar direccionamentos para os nossos actos, e nelas sempre tive muitos companheiros que compartilharam dos mesmos anseios que eu.
Getúlio calou-se um instante, mas Irmão José pediu-lhe:
— Continue, que isto lhe fará bem!
— Aqueles que me auxiliavam diziam-se meus amigos, e assim eu os considerava, e a nossa amizade, pelos compromissos das artimanhas, aumentava cada vez mais!
Quando nós próprios, como cabeças de um plano, nos deixamos empolgar, as atitudes que os outros tomam, fogem ao nosso controle e eles passam a agir por si próprios, desejando ajudar cada vez mais, entendendo que em tudo estão colaborando, pois sabem o que pretendemos!
— Isso quer dizer que você está indignado consigo próprio, com seus companheiros, e arrependido de ter impedido que as eleições se realizassem normalmente, como estavam marcadas, e o seu governo findo no momento já fixado?
— Eu não saberia responder!
Talvez só a minha ambição e desejo tão intenso de me perpetuar no governo, sejam culpados de tudo isso!
— Mas não justificam as acções que praticaram, não é mesmo?
— Sim! O senhor não poderá me esclarecer algo a esse respeito?
Sei que me sentirei aliviado e muito!
— Ainda não é o momento certo!
Mas não queira reportar a razões anteriores, toda a causa de suas próprias acções!
Quando lá estamos, cabe a nós próprios, ao nosso esforço, nos desfazermos das imperfeições que abrigamos em nós, reagindo ao que não é direito, ao invés de trabalharmos para alcançar os fins que colimamos, sem verificar os que derrubamos pelos caminhos.
— Ah, irmão, cada dia que passa vão se acumulando preocupações em mim, pela consciência dos meus compromissos!
— Os seus compromissos, bem como suas atitudes corretas já foram assumidos e praticadas!
— Mas o recordar, o visualizar, conscientizam-me mais intensamente e sofro muito!
— Vejamos um ponto para discutir!
Se lhe for permitido voltar à Terra, amanhã, com todos os propósitos nobres que você tinha da outra vez, com todas as promessas feitas, como agiria?
Já pensou nisso?
— Nunca pensei, talvez tornasse a errar, não é mesmo?
— Pode ser que sim, uma vez que só não falham em suas tarefas, quando reencarnados, os Espíritos Superiores!
— Por isso esta actividade é necessária!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:26 pm

Para que fique solidificado em seu Espírito o que realizou contrário a seus propósitos, em desfavor de muitos, e um dia, você mesmo, reagindo contra as suas imperfeições, possa corrigir-se.
Se agora já sentiu que agiu erroneamente, é um bom sinal!
Quando não concordamos com actos indevidos que nós próprios praticamos, é um progresso em caminho para o nosso Espírito, que estará atento de outras vezes!
Mas continue!
Não há mais nada a acrescentar?
— São tantos detalhes, não é mesmo?
Tantas pessoas afastei do meu caminho para que não me impedissem, tantos ajudaram de forma agressiva.
Foram muitas coisas que prefiro falar sem especificar nada.
— E o que me diz da Constituição já pronta, publicada para o Estado Novo, como o chamou?
— Já estava sendo preparada de há muito, e quando o golpe foi efectivado, era só publicá-la.
O irmão sabe do quanto eu e muitos dos meus companheiros éramos simpáticos ao regime que se instalava na Europa!
Muitos de nós tínhamos os mesmos ideais fascistas que lá predominavam, e o exemplo do grande ditador Hitler, fortificou aqui os nossos desejos.
— Agora você tocou num ponto muito importante!
— Sim, irmão, mas não pode me acusar de ter realizado tudo o que ele realizou posteriormente!
— Eu não o acuso de nada!
Cada um tem a própria consciência, que é o melhor regulador das acções, ou para acusar, ou para se satisfazer com elas.
— Mas a consciência nem sempre nos acompanha de forma julgadora!
Naquela oportunidade, a minha consciência ficou feliz de tudo o que consegui!
— Porque você só viu o que lhe interessava!
Se tivesse lhe dado mais atenção, analisando o que deixou atrás de si, para conseguir o que queria, compreenderia que ela não podia estar satisfeita!
Até para sentirmos a nossa consciência, centelha divina dentro de cada um, precisamos saber captar o que ela nos direcciona.
— Só pode ser isto mesmo, o senhor tem razão!
Somos nós que não queremos ouvi-la!
Nem sempre o que nos tem a dizer, interessa aos nossos anseios momentâneos.
— No entanto, passado o tempo, quando podemos examinar nossas atitudes, afastados da situação que nos envolvia no momento, compreendemos que fomos nós que não lhe demos atenção, inobstante ela ali estando e nos alertando!
O ambiente da sala onde se encontravam era propício ao trabalho que realizavam.
O silêncio e o local mais fechado, proporcionavam-lhe melhor a concentração de ideias, a reflexão e a análise dessa parte de tanta importância ao nosso irmão.
Já estava no governo há sete anos, desde que se instalara pela revolução de 1930, quando o Presidente Washington Luís fora deposto.
Ficara um período bastante longo, e as oportunidades se fizeram para que executasse plano tão belo, que levara no Espírito.
Tomara providências para dar segurança aos trabalhadores, tão desprotegidos pelas leis, mas nunca trabalhou dentro de uma planificação de objectivos, que os grandes mandatários devem seguir, construindo uma nação melhor e mais progressista. Isso ele nunca realizou!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:26 pm

Apesar dos oportunismos das atitudes, trabalhou em favor da Nação, mas o seu objectivo maior e primeiro, o que comandava todas as suas atitudes, era em razão de si mesmo — da sua continuidade no poder, do qual não pretendia se afastar.
Parecia que ali fora imantado por força poderosa, mas de forma a que ele próprio sempre tivera que lutar, para que o ímã não perdesse a força e o expulsasse de seu posto.
Agora estava entristecido pelo que visualizara, e recordava-se da sua nova situação dentro do governo — o governo ditatorial — que conseguiu após lutas silenciosas e trabalhos ingentes, na utilização dos recursos que lhe caíam às mãos, ou idealizando outros, tudo convergindo para um mesmo ponto — a cadeira de Presidente, na qual ele se assentara!
Em vista disso reflectia, analisava!...
O seu Espírito, após as lembranças do que havia realizado, estaria feliz de ter permanecido?
Nesse particular, Irmão José, que o acompanhava, dirigia-lhe perguntas para melhor auxiliá-lo nas reflexões, levantando pontos obscuros, do recôndito de sua consciência, a fim de que nada ficasse esquecido, para o bem do seu próprio Espírito.
— Irmão Getúlio, conversamos sobre diversos pontos que o afligem, falamos até da nossa consciência, que avisa quando atravessamos um sinal errado, mas gostaria de fazer-lhe uma pergunta!
— O que deseja saber?
Sabe que muito confio no senhor, tenho-o como um amigo, e neste lugar não há mais mentiras, que sabemos!
Pode perguntar, por favor!
— De tudo o que já viu, de tudo o que recordou, e muito terá diante de si, que ainda não comentamos — o momento não chegou — posso lhe perguntar o seguinte: Em algum instante você se arrependeu da empreitada que levou para executar na Terra, diante do que sente em aborrecimentos e tristezas pelo que cometeu?
— O senhor sabe que aquele posto estava, na Terra, dentro do meu sangue, fazia parte das minhas aspirações!
Penso que era porque levava comigo a execução da tarefa.
Em nenhum momento, pensei que, se nada daquilo tivesse acontecido, se para lá tivesse partido como um simples cidadão comum,
teria errado menos!
Em nenhum momento tive aquele lugar que ocupei, como o causador de tantas faltas!
O que me preocupa, não é o posto que ocupei, mas sim a forma como o administrei, as atitudes indevidas que tomei!
Tinha todas as oportunidades de me sair bem, se ouvisse, talvez, a voz da minha consciência, mas eu a sufoquei muitas vezes, para ouvir a voz de meus próprios instintos, no que se referia à segurança de minha posição!
— A sua conduta, o aprendizado que já fez, estão contribuindo em muito para auxiliá-lo, agora, na análise de si mesmo!
— Aqui não há mentiras!
Tudo o que fazemos na Terra, de forma sorrateira, no Mundo Espiritual abre-se para todos, e os desejos inconfessáveis lá, aqui estão expostos, sobretudo a um amigo como o senhor, que me acompanha e me orienta!
— Disso tudo concluímos que não é a posição que ocupamos lá, que vai nos trazer mais ou menos progresso espiritual, mas a forma como desempenhamos as tarefas, a honestidade e correcção de carácter com que conduzimos os nossos actos, desde a mais ínfima actividade, até a de mandatário maior da Nação!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:26 pm

— Mas o senhor há-de convir comigo que, quanto mais possibilidades temos, mais vulneráveis ficamos aos erros, e maiores os compromissos que assumimos!
— Sim, não se pode comparar as responsabilidades de um Presidente, com as que envolvem um simples funcionário de uma repartição, mas os méritos, tanto de um, quanto de outro, são os mesmos diante de Deus!
— Irmão José, o senhor sabe o quanto tenho estado preocupado, e cada vez sofro mais!
Muito ainda devo analisar, mas recordo-me de quase tudo, e tenho receios!
As culpas vão se acumulando e o sofrimento aumentando. Ainda demorará muitos dias para terminarmos?
— Se você já se recorda, sabe o que deve ter realizado, e quanto tempo mais permaneceu no seu posto, não é mesmo?
— Tenho noção de muito, mas não vejo a hora de terminar, para, através de um trabalho, redimir um pouco das minhas culpas!
— Não se preocupe com isso!
Tudo tem o seu momento certo: o momento de plantar e o momento de colher!
— E eu estou colhendo aqui os espinhos que lá plantei, não é verdade?
— Não disse isso! Todos nós, lá, plantamos espinhos, mas, às vezes, entre os espinhos encontramos alguma rosa perfumada que foi plantada por nós, e o seu perfume é o que nos alimenta o Espírito, nos momentos em que sentimos a picada dos espinhos que nós próprios cultivamos!
Se você desejar, poderá se retirar!
Já falamos bastante por hoje, e amanhã, então, retornaremos ao nosso trabalho.
Procure, como sempre, distrair-se!
Ore e assista às prelecções realizadas no salão, que só o ajudarão a transpor esses momentos difíceis!
— Obrigado, Irmão José, por todo o carinho com que me trata!
O senhor tem sido o anjo bom que me acompanha e me orienta.
Que Deus também o abençoe por isso!
— Apenas realizo o meu trabalho, e o faço com muito amor!
Que Deus o ampare, o proteja e o auxilie sempre a transpor esses momentos, para um novo amanhã radioso!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Dez 08, 2018 10:26 pm

O ESTADO NOVO SOB OUTROS OLHOS
Mais um dia terminara na vida de rememorações do nosso irmão.
O sofrimento fazia parte de seu ser, mas não o sofrimento que se vê, como aquele em que se encontrava quando para lá fora levado.
Agora era um sofrimento calado, um sofrer que atinge o coração e repercute em todo o ser, um sofrer que só quem o sente sabe defini-lo, e, cada vez mais, o acumular de acções mostrar-lhe-ia que os seus compromissos também seriam maiores.
No dia seguinte, quando nova sessão se realizaria, novos temores o tomavam.
— Irmão José, tenho receios!
Temo pelo que deverei ter à minha frente, hoje!
— Você já tem as lembranças de tudo?
— Sim, irmão! Mas lembranças, embora vivas, nunca são tão fortes como ver, uma por uma se desdobrando à nossa frente!
E hoje, o que devo ver, tem muito que me desagrada, que me entristece!
— Vejamos, então! Podemos começar?
— Apesar dos temores, devemos fazê-lo!
Não posso impedir, mesmo porque os compromissos já foram assumidos!
— Sim, mas quem sabe algo bom também exista! Vamos ver!
E começaram a visualizar um novo período.
Um governo ditatorial, que reúne em si todas as decisões, tem que se resguardar muito bem, apoiado em tudo o que lhe dê segurança, que o cerque, sem que ninguém interfira e impeça a realização do que tem em mente.
As atitudes deveriam ser severas e rigorosas nessa hora, às vezes, mesmo impiedosas para com outros.
E muitos desses ali estavam.
As suas primeiras medidas, aquelas cujos direitos eram conferidos pela Constituição, preparada para lhe dar autonomia plena, foram de uma repressão incontida.
Apoiado nesses direitos, afastava os que se rebelassem, através de prisões ou desterros.
Tudo passara a ter o seu controle — até uma simples correspondência, se assim o desejasse, era censurada, como também os órgãos de Imprensa!
Os funcionários do governo teriam que compartilhar das mesmas ideias do Presidente, se quisessem manter-se nas suas actividades, porque, do contrário, seriam aposentados ou demitidos.
Todas as acções eram realizadas para impedir que o liberalismo continuasse a viger, cerceando as acções que não partissem de um único poder central.
Entretanto, viam-se também providências tomadas para a organização de muitos sectores, a criação de Conselhos, sempre no interesse de colocar o País, política e administrativamente em ordem.
E o País ia bem!
As influências europeias continuavam a ser sentidas aqui, sobretudo o avanço do nazismo.
Pôde verificar a revolta dos integralistas, quando viram sua acção impedida, no momento em que extinguiu todos os partidos políticos.
A oposição foi tão grande, a revolta tão intensa, que culminou com o ataque ao palácio Guanabara, para atingir e eliminar o Presidente.
Quando essas imagens foram mostradas, Getúlio pediu ao Irmão José que as interrompesse um instante.
O aparelho foi desligado, e o orientador perguntou-lhe o que havia acontecido.
— Quero recompor minhas ideias para o que virá após!
Foi uma noite terrível!...
Fomos todos surpreendidos por invasão tão intensa e tivemos que nos defender!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:08 pm

Mas tudo, depois, saiu a contento!
O irmão viu como foi um planeamento prolongado e detalhado?
Eu apenas imaginava, mas não tinha noção de como fora organizado.
Foi bom ver tudo isso!
— Podemos continuar?
— Sim, podemos!
O que vi agora, tinha-o em minha mente!
As imagens continuaram e ele viu as prisões efectuadas, recordando-se de que, a partir daquela ocorrência, teve que se proteger mais, razão
pela qual determinou a seu irmão Benjamim que organizasse uma guarda pessoal para lhe dar mais segurança.
Viu quando muitos se achegaram, trazidos do Rio Grande do Sul, homens que poderiam executar muito bem a tarefa de defendê-lo.
Viu entre eles uma pessoa que, ao lhe ser mostrada, não disse nada, apenas colocou as mãos no rosto e abaixou a cabeça!
Sim, ali estava uma figura muito importante, e que muitos aborrecimentos lhe trouxera mais tarde.
Alguma coisa além do que estava à sua frente deve ter se lhe achegado à mente, juntamente com a visualização daquela criatura.
— Sente-se bem? — perguntou-lhe Irmão José.
— São lembranças, irmão!
Apenas lembranças!...
— Alguma em especial?
— Tive uma sensação muito estranha ao ver aquela pessoa.
Mas não quero pensar em nada, não devo!...
Continuemos amigo!
— Já conversamos sobre isso!
Procure não antecipar nada!
Veja o momento que lhe está sendo mostrado, sem se deixar afectar!
— Estou me esforçando, mas quando o vi, não pude deixar de sentir um choque!
Dando prosseguimento ao trabalho que realizavam, eles viram que, após esses problemas ocasionados pelos integralistas, o Estado Novo tornou-se mais firme em sua estrutura.
Irmão José achou que já deveriam interromper, e convidou Getúlio a que se retirassem, perguntando-lhe:
— Gostaria de conversar comigo a respeito do que viu, do que fez?
— Hoje não estou tão disposto a conversas!
Quero estar só comigo mesmo, um pouco, tenho muito em que pensar!
— Mas será bom se falar!
Deve fazer como tem feito até agora, far-lhe-á bem!
— Talvez o faça, mas pretendo estar só por um tempo!
Preciso organizar melhor a minha mente, quero meditar, reflectir!
O irmão sabe, as acções foram muitas e nelas preciso pensar!
Depois, se tiver a bondade de me receber, eu o procurarei, mas agora não!
— Eu o respeito! Faça como achar melhor!
Mas vejo que está preocupado!
— Mais tarde eu o procurarei, se tiver um tempo para mim!
O senhor sabe que agora é o único aqui que me compreende, e não deixarei de procurá-lo!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:09 pm

Ao despedir-se de Irmão José, Getúlio dirigiu-se ao seu compartimento, deitou-se como uma criança que quer se esconder de alguma arte praticada, e permaneceu quieto, encolhidinho, pretendendo isolar-se do ambiente que o circundava, para poder ficar somente com as suas próprias reflexões.
Pensou, reviveu muitos momentos!...
Perdeu a noção do tempo, e sentiu que delicada mão o tocou no ombro, querendo, talvez, acordá-lo para a realidade.
Abriu os olhos e viu à sua frente, Irmã Cíntia.
— Que aconteceu ao meu querido irmão?
Há tempos não o via deitado a esta hora!
Não está se sentindo bem?
Getúlio apenas olhava-a e não conseguia pronunciar nenhuma palavra.
— Onde está Irmão José, por que não está com ele?
Parece que veio refugiar-se aqui!
— Sim, irmã, penso que seja isso!
Vim refugiar-me!
— Mas de quê?
Aqui ninguém o persegue, não é mesmo?
— A perseguição não é de ninguém, que são todos muito bondosos, mais do que mereço!
— Se o tratam bem é porque o merece, do contrário não estaria entre nós!
Vamos, levante-se!
Diga-me, o que o aflige tanto?
— São minhas próprias lembranças! Não me refugio de ninguém, mas de mim próprio!
— E pensa que ficando deitado aí, encolhido e alheio a tudo, vai melhorar?
Não sabe que é muito pior?
Quando temos problemas, devemos exteriorizá-los a alguém, e após, o alívio se fará!
— Sempre tenho agido assim!
A companhia do Irmão José tem me feito muito bem, mas hoje precisava ficar só!
— E sentiu-se melhor com isso?
Penso que não!...
— É verdade, os problemas parece que cresceram mais, e mais ainda me encolhia, querendo afastá-los de mim!
— A sua atitude não foi a melhor!
Levante-se, procure Irmão José, que deve estar preocupado com você e fale o que deseja!
Abra o seu coração que sentirá alívio!
— Senti-me tão só, tão abandonado aqui, mas não tinha coragem de reagir!
— Pois agora irá reagir!
Levante-se, vá até o gabinete de Irmão José e converse com ele, que diminuirão seus problemas!
Ele o ajudará!
Vamos, eu preciso ir até lá, e você irá comigo!
Getúlio não tendo como recusar, acompanhou a Irmã Cíntia até a porta do gabinete do bondoso orientador.
Ela própria bateu, abriu a porta, introduziu Getúlio, entrando após ele.
— Que surpresa agradável, Irmã Cíntia!
Deseja alguma coisa?
— Vim trazer o nosso irmão!
Ele não está bem e precisa de ajuda!
— Ele próprio quis ficar só, e respeitei a decisão dele!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:09 pm

— Mas parece que não lhe fez bem!
— Sente-se aqui, irmão!
Vamos conversar!
Irmã Cíntia despediu-se e ambos ficaram sós.
— O que houve de tão aterrador?
— Hoje, compreendi o quanto me afastei dos meus planos aqui realizados!
Construí em torno de mim, uma muralha, para que somente eu lá dentro estivesse, e de lá comandava, ordenava, reprimia, castigava, apenas para que a muralha não fosse derrubada e ninguém perturbasse a minha segurança.
O meu plano aqui elaborado, e a minha realização lá, estão muito distantes!
Apenas eu era o mesmo, mas com ideais e atitudes muito diferentes...
— Por tudo o que pudemos ver hoje, também teve boas realizações!
Tomou muitas providências, regularizou vários departamentos, o País sentiu-se mais seguro, mais em ordem e o povo, mais confiante.
— Sim, mas o senhor percebeu as minhas verdadeiras intenções, e não realizei o que deveria e nem como deveria!
— É muito difícil, com efeito, conviver na Terra e colocarmos tudo o que pretendemos em execução, sem que sejamos perturbados pelas nossas imperfeições e pelos atractivos que lá envolvem o ser humano.
As imperfeições que o nosso Espírito ainda carrega são muito grandes!
Já conversamos sobre isso, não é mesmo?
— Justamente por isso é que pretendia ficar só, hoje!
Quanto mais o senhor fala, mais sinto que falhei, que assumi compromissos muito grandes, e tenho receio!
— Você sabe que Deus não tem pressa!
Se não realizamos as tarefas como desejávamos, para ressarcir erros de outras existências.
Ele nos proporciona a oportunidade de retornarmos quantas vezes forem necessárias, para aprendermos a nos desfazer das imperfeições, e, um dia, termos o Espírito liberto para nos achegar até Ele.
— Eu já devo ter errado muito!
Não nesta encarnação que estamos analisando, que já sei, mas refiro-me a outras anteriores, e não consegui ainda me libertar das falhas que o meu Espírito carrega.
— Dia virá em que todos nós estaremos libertos e puros, que para isso fomos criados!
— O senhor poderia me adiantar alguma coisa das minhas encarnações anteriores, que me fizesse compreender o porquê de tantas dificuldades para realizarmos tarefas nobres na Terra?
— No momento certo e quando for permitido, você terá o que tanto deseja, mas agora de nada adiantará!
Serviria para complicar mais os seus problemas!
Se está tendo dificuldades em aceitar o que fez na sua última romagem terrena, como pode abranger encarnações passadas?
— Apenas como justificativa para os meus próprios erros!
— Mas não justificaria!
Nada do que fomos desculpa o que somos agora!
Poderá explicar muitos dos seus actos, mas justificativas, nunca as teria!
Ninguém pode querer justificar uma acção má, por outra já praticada!
No momento certo terá, abertas à sua frente, as encarnações que poderão auxiliá-lo a compreender!
Há muito ainda para visualizar e, no término de tudo, quem sabe, se for permitido, lhe será proporcionado o que deseja, como complemento do seu tratamento, para ter um recomeço, um aprendizado aqui no Mundo Espiritual e um dia poder retornar à Terra!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:09 pm

— E quando retornar, terei novamente a possibilidade de ser Presidente?
— Isso não é permitido saber ainda, mas lá precisamos passar por muitas situações!
A Terra é uma grande escola, e quando nela nos matriculamos, precisamos realizar vários cursos para termos uma cultura geral.
Assim é para o nosso Espírito!
Temos que passar por oportunidades diferentes, para que, vivenciando em diversas situações, propiciemos-lhe todas as experiências de que ele precisa para o seu aprimoramento completo!
Entendeu? Às vezes temos uma chance em uma determinada situação, e, se a perdermos, não a teremos mais!
De outras vezes, é nos permitido retornar na mesma situação, para desfazermos os erros cometidos anteriormente!
Mas não devemos pensar no que virá, se ainda não terminamos de verificar o que passou!
— O senhor tem razão, sim!
Eu queria fugir das minhas responsabilidades, procurando atenuantes que sei, não encontrarei!
— Como se sente agora, após esta conversa, após o extravasar dos problemas?
— Estou um pouco melhor!
Mas não há nada que possa fazer, para aquietar-me a mente tão conturbada?
— Poderei, sim, se me acompanhar numa oração, e pensar firmemente em Deus, rogando-Lhe, não o esquecimento, mas o reconhecimento das próprias imperfeições, com seriedade e equilíbrio, para fazer delas, lições de grande beleza para o seu próprio aprendizado.
Querido irmão, eleve o pensamento a Deus e repita comigo, apenas mentalmente, as palavras que direi em voz alta.
— Sim, irmão, eu estou pronto!
— Deus de infinita bondade!
Que as Tuas bênçãos recaiam, neste momento, sobre este irmão, tão atormentado pelos próprios erros!
Que ele, meu Pai Todo-Poderoso, ao recebê-las, afaste de si receios tão profundos, e compreenda que tudo o que realizamos fora dos Teus ensinamentos, nos serve de lição, para o aprendizado do nosso Espírito!
Que a Tua misericórdia se derrame sobre todos nós, para a compreensão das nossas faltas, para que saibamos transformá-las em trabalho redentor, àqueles mesmos que ofendemos!
Que o Teu olhar esteja sempre connosco, e que o sintamos dentro de nós, a fim de que, em todas as acções que praticarmos, nos reconheçamos mais vigiados por Ti, mais fortificados pelas Tuas bênçãos, e pratiquemos somente aquelas que nos elevam mais espiritualmente!
Auxilia, meu Deus, este irmão, a superar os seus erros, e a nós próprios, os nossos, para fazermos de nós um instrumento de conforto, de ensinamento e de auxílio, sempre pronto a este nosso irmão, para que ele supere as suas deficiências e compreenda a finalidade maior da sua criação!
Terminadas essas palavras, Getúlio agradeceu a Irmão José, dizendo estar se sentindo bem melhor, e mais protegido para enfrentar o que ainda seria necessário.
— Você não deve se entregar tão profundamente às suas reflexões!
Procure encontrar alguma coisa boa, para amenizar as faltas que cometeu, mesmo que a ferocidade de muitas más acções, ofusque o brilho de qualquer uma de suas realizações mais nobres!
Deus não desampara a ninguém e você está protegido aqui!
Lembra-se de quando chegou, como se encontrava?
— Sobre isso, ainda quero conversar com o senhor, um dia!
Obrigado por tudo o que fez por mim!
Agora vou caminhar um pouco, respirar profundamente para sentir-me melhor!
— Quer que o acompanhe?
— Obrigado, mas devo fazê-lo só!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:09 pm

HIATO DE TERNURA
Ao deixar o gabinete do Irmão José, Getúlio seguiu um pouco mais sossegado e refeito.
As suas palavras, a sua companhia e, muito mais, a prece, trouxeram-lhe paz interior e bem-estar.
Estava melhor, e realizou o passeio calmamente.
Mas as horas se sucedem, e chegou outra oportunidade de retornar à sala onde visualizava o seu trabalho, e para lá se dirigiu.
Chegou antes de Irmão José naquela manhã, e estranhou não encontrá-lo, o que nunca havia acontecido.
Aguardou uns instantes e logo ele ali estava, desculpando-se e dizendo que depois lhe diria a razão do seu atraso.
Os dois sentaram-se diante do aparelho, e, a um sinal de Irmão José, as imagens foram aparecendo.
Desfilaram à sua frente, entre outros fatos, mais alguns referentes àquele período em que as repressões aos integralistas haviam sido intensas e terríveis, e ele pôde ver, após, o País tranquilo e mais acomodado.
O temor que as atitudes do governo infundiram aos revoltosos trouxe a serenidade para administrar.
A Europa passava por um período muito significativo dentro do concerto mundial, e o Brasil não podia estar alheio ao que ocorria.
Assim ele pôde ver quando ele próprio, a contragosto, solidarizou-se com o governo americano, rompendo as relações diplomáticas com os países do Eixo, e também, quando os contingentes brasileiros partiram para lutar na Europa, mais especificamente na Itália.
Viu o seu retorno trazendo a vitória e, com ela, o anseio maior do povo — a redemocratização do País, ameaçando a sua permanência no governo.
Quando a apresentação das imagens foi suspensa, Getúlio surpreendeu-se.
— Por que interrompeu?
— Já vimos o suficiente, não?
— Tem razão!
— Vamos sair daqui!
Getúlio levantou-se, acedendo ao convite do amigo, mas nada comentaram do que fora visto.
Caminharam um pouco, e, Irmão José, dirigindo-se a Getúlio, perguntou-lhe:
— Como está se sentindo?
— Como sempre, irmão, como sempre!...
Se lhe dissesse exactamente como está o meu íntimo, apenas repetiria o que tenho dito diariamente e o perturbaria com as minhas lamentações.
— Não me consta que tenha se lamentado!
Temos conversado sobre os factos que deseja comentar, o que lhe tem trazido um pouco de bem-estar!
Por isso deveria falar sobre o que viu hoje!
— Haveria muito que comentar, não é irmão, mas recairia nas mesmas repetições, e cada vez mais, eu sei, fui me comprometendo.
Talvez seja melhor deixarmos o que vimos, sem comentário!...
— Far-lhe-ia bem se falasse!
— Mas não o desejo, honestamente!
Vou pensar, e depois, então, faremos algum comentário!
— Você sabe que a minha função aqui é exactamente esta — auxiliá-lo nas suas reflexões!
— Mas os compromissos são meus, não é mesmo?
— Sim, não só os compromissos, mas as vitórias, são todas suas!
As boas atitudes, os triunfos, são contados a seu favor!
— Mas são tão poucos!...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:09 pm

— Saiba, irmão, que, em lá estando, ao tomarmos alguma atitude, mesmo que não sejamos movidos pela solidariedade humana, mas apenas pelo desejo de conseguir alguma vantagem pessoal, se a tomarmos em favor de muitos que usufruirão do benefício, será contado a nosso favor!
— A maioria das minhas acções em favor do povo, quase sempre tiveram a intenção de solidificar mais a minha posição, mas as realizava, não é mesmo?
— Pois então, isso lhe será computado como créditos conseguidos!
O progresso do País foi se efectuando através de muitas das suas medidas, a industrialização foi tomando corpo, e com ela muitas oportunidades de emprego, a segurança que favoreceu os trabalhadores, você também realizou coisas boas!
Vamos ver, ao final, qual lado da balança vai pesar mais!
— Mas o peso da minha consciência, reconheço, é muito maior que a alegria que sentirei pelo que aguardamos, ao cabo desta pesquisa!
— Lembra-se do que lhe disse quando começamos hoje?
Que lhe contaria, após o nosso trabalho, o motivo do meu atraso?
— Sim, lembro-me!
Mas o senhor não me deve explicações!
— Devo lhe dizer e sei que ficará feliz!
— Então diz respeito a mim?
— Sim, fui procurado pela manhã, por Irmã Cíntia, que vinha da parte de Irmão Fabrício, trazendo-me uma notícia, que será uma surpresa muito agradável a você!
— Diga-me, por favor, o que é?
— Levá-lo-ei até o jardim e lá, então, lhe mostrarei!
Não devo dizer, porque deixaria de ser surpresa!
— Vamos, sem perda de tempo!
Lá chegando, Getúlio pôde ver, à medida que se aproximavam, passeando por entre as flores, uma senhora, que reconheceu logo.
— Irmão, é Darci que veio visitar-me hoje?!
— Sim, pode ir até ela e fique à vontade!
Tem todo o tempo que desejar, ou melhor, até quando ela puder!
— O senhor não estará connosco?
— Não! Eu os deixarei a sós!
Devem ter muito que conversar, e, nessa hora, ninguém gosta de intrusos!
— Não seria um intruso!
Pelo menos vá comigo até ela!
Ambos caminharam ao encontro de Darci, mas, no momento
em que ela se virou para efectuar uma nova volta pelo jardim, viu Getúlio e acelerou o passo para encontrá-lo.
Ele afastou-se um pouco do amigo orientador e foi apressado em sua direcção.
Abraçaram-se fortemente e, quando Irmão José se aproximou, percebeu lágrimas nos olhos dos dois.
Parecia que Getúlio, com aquele abraço, estava querendo resgatar não só uma saudade de há muito, mas desejando que ela compartilhasse também das preocupações que envolviam o seu coração. Era uma forma de sentir-se aliviado!
Vendo Irmão José, ele apressou-se em dizer:
— Meu amigo, esta é a minha querida Darci, que aguardava há tanto tempo!
— Que Deus esteja em seu coração, irmã, e que possa ter trazido, não só o conforto da sua presença junto do nosso Getúlio, mas que encontre as palavras que farão dele um homem menos sofredor.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:09 pm

— Obrigada por suas palavras!
Da outra vez que aqui estive, eu não o conheci!
— É Irmão José! — acrescentou Getúlio.
O companheiro abnegado de todas as horas, que me acompanha neste período que estou vivendo agora!
Ele tem sempre uma palavra de conforto e ameniza as minhas preocupações.
— Pelo que estou ouvindo, você não tem andado bem, meu querido!
O que está acontecendo?
— É o trabalho que estamos realizando! — respondeu Irmão José.
A sua presença, aqui, foi permitida, para que um alento novo seja levado ao coração dele!
Agora vou me retirar e deixá-los à vontade!
Poderão conversar o quanto desejarem, e se após, irmão, precisar de mim, sabe onde me encontrar!
Que a paz de Jesus esteja com vocês e com todos nós!
Irmão José retirou-se, e, num primeiro momento, sem saberem o que fazer, ficaram parados no mesmo lugar.
Darci, em seguida, convidou o marido para andarem um pouco.
Ele concordando, ofereceu-lhe o braço e foram em direcção ao parque.
Enquanto caminhavam, iam admirando as flores tão belas daquele jardim, até que chegaram.
Escolheram um banco mais retirado, e sentaram-se.
— Como você está bem, Darci!
Vejo-a mais bonita, vejo-a tranquila!
— Tenho me esforçado e aprendido muito, querido!
E o meu coração, não fosse a saudade de você, estaria feliz!
— Eu não posso lhe dizer o mesmo!
Tenho andado muito preocupado, tão entristecido!...
— O que há para tantas tristezas e preocupações?
— Estou passando por uma actividade, através da qual, a cada dia, tomo conhecimento de mais compromissos assumidos na Terra, no desempenho das minhas funções de Presidente.
— Mas que compromissos são esses?
O povo gostava tanto de você!
Sempre procurou trabalhar em favor dele, principalmente dos mais desfavorecidos!
— Não é só isso, Darci!
Quando daqui parti para a minha última encarnação, organizei um plano com os mais nobres intuitos para desenvolver no Brasil.
O plano teve a aprovação dos mentores, e até Espíritos encarregados de me auxiliar, foram-me dispensados!
Porém, não realizei quase nada do que havia preparado!
Desviei-me dos objectivos aqui planificados, em favor de outros mais imediatos, e sempre trabalhei com a intenção de permanecer no meu posto.
Utilizei-me de artimanhas e recursos os mais variados, e nem sempre correctos, para afastar o que pudesse me impedir de continuar.
Muitas pessoas foram retiradas do meu caminho, de forma desumana! Você sabia disso?
— É-me difícil acreditar no que está me dizendo, querido!
Sempre foi um excelente pai de família, dedicado aos filhos e a mim!
Como pode ter a certeza do que está afirmando?
Participei de muitas das suas actuações, embora nem sempre os familiares pudessem saber de todas as suas actividades governamentais...
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:10 pm

— Tenho participado de um trabalho, em que cada dia me é mostrado, como num cinema, toda a minha vida lá!
Nada fica escondido!
Mesmo o que foi praticado de forma muito sorrateira, através de conchavos ocultos, aqui me é mostrado, e, nesse espaço de tempo que a essa tarefa me dedico, vejo tudo o que fiz!
Tenho vivido a cada dia, até anos de actividades!
— O que eu poderia lhe dizer para acalmar o seu coração?
Pense nas coisas boas que também realizou!
Pense nas modificações que o País sentiu através do seu governo!
Pense em tudo o que realizou em favor do povo!
Pense na família da qual sempre cuidou com carinho!
— O Irmão José tem tentado me ajudar, para que eu não me lembre só das acções más e menos dignas, mas me é difícil, Darci!
Lá assumi compromissos muito grandes e terei que ressarci-los todos, um dia!
— Deus não nos desampara!
Só o facto de aqui estar, tendo esse tratamento, ao invés de estar vagando ao léu, desamparado, deve ser por alguma coisa boa que realizou!
Apoie-se nelas, e o futuro se encarregará de mostrar-lhe um novo caminho!
— Fale-me de você, Darci!
Estou lhe aborrecendo com minhas lamentações!
— Não são lamentações, querido, são desabafos necessários para libertar um pouco o seu íntimo!
Lembra-se do que lhe recomendei a última vez em que aqui estive, que orasse?
— Eu tenho orado muito e recebido muito conforto!
Mas fale-me de você!
Os dois ainda permaneceram no parque um longo tempo, rememorando situações felizes da vida em comum na Terra, falaram nos filhos, e Getúlio sentiu-se melhor.
Mais aliviado, em dado momento, ele exclamou:
— Ah, Darci, se você pudesse permanecer aqui comigo, tudo me seria mais fácil!
— Ainda não me é permitido, querido!
Você tem muita actividade a desenvolver, eu só atrapalharia!
Mas a bondade de Deus é infinita, e me permite visitá-lo, às vezes, e agradeço-Lhe muito, quando isto acontece!
Faça o seu trabalho da melhor forma que puder, e um dia, quem sabe, ainda
poderemos estar juntos!
Agora preciso voltar, já estamos aqui há bastante tempo!
Vou acompanhá-lo até a entrada da Colónia, e lá nos despediremos!
— Vamos, então!
Seguiram de braços dados, passando por entre as flores do jardim, e Getúlio contou-lhe o que Irmão José havia lhe falado sobre elas, até que chegaram à porta do edifício, onde se despediram.
Ela deveria voltar!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:10 pm

HUMILHAÇÃO E ORGULHO
Getúlio, que não contava com aquela surpresa apesar de ansiar por ela de há muito, estava satisfeito e mais reconfortado.
Darci trouxera-lhe força e alento para continuar, lembrando-lhe muitas coisas boas que havia realizado, reerguendo-o, apoiado nelas.
Muito o ajudou, e ele suportaria, com resignação, coragem e humildade, o peso de suas próprias culpas.
Foi com esse espírito, que enfrentou o resto daquele dia, e bastante disposto chegou, na manhã seguinte, onde Irmão José o aguardava para a realização da tarefa.
— A visita de Irmã Darci fez-lhe muito bem!
— Ela conseguiu transmitir-me um pouco de alento ao Espírito, e pude haurir dela mais coragem para enfrentar os meus compromissos.
— Por isso não me procurou, ontem!
Já me acostumei à sua companhia, no desempenho desta tarefa, e até sinto a sua falta, quando não me procura!
— Mas o senhor também tem suas actividades, não as tem?
— Sim, nunca estou parado, gosto de trabalhar, mas agora o meu trabalho maior, é em sua companhia!
Está disposto a continuar?
— Podemos fazê-lo quando desejar!
As actividades foram iniciadas e, através daquele aparelho, mais um período da sua vida desfilou ante seus olhos.
Entre amigos e antigos companheiros, entre providências e diversos factos, ele percebeu também o quanto os seus sentimentos e acções, naquele período, convergiam para um único ponto: o término do período ditatorial, com o retorno da democracia, para a qual pugnavam.
Isso significava o seu afastamento do governo, o que, na verdade, se efectuou, quando recebeu, em seu gabinete, a intimação de renúncia, à qual se submeteu pacificamente.
Em seguida, viu a posse do Presidente Interino, e a sua retirada para São Borja, com o coração abatido, humilhado, triste, magoado e ferido, por quem julgava ser um grande amigo, e com quem partilhara muitos momentos de tanta cumplicidade...
Ao término das visualizações, conjugadas com lembranças, Getúlio, ainda abatido, sentindo vivos em si, aqueles momentos em que tanto trabalhara e lutara para não perder o posto tão querido, de um momento para outro, vira-se surpreendentemente aniquilado!...
Submetera-se sem nenhuma reacção!
No silêncio que reinava, após as imagens interrompidas, Irmão José tocou-lhe o ombro, perguntando-lhe:
— Em que está pensando, amigo?
— Em tudo o que vi!
— Você viu que temiam uma preparação sua para impedir que as eleições fossem realizadas, e, através de um novo recurso, continuasse na Presidência!
— Góis conhecia-me muito bem, e logo soube que era isso mesmo que preparava!
— Mas o povo não mais queria um governo ditatorial!
Tudo o que fora conquistado na Europa, tinha que se estender até aqui também, pensavam, e foi o que os animou a lutar!
— Já de há muito estavam trabalhando para o retorno da democracia!
— Era um direito que sentiam possuir, e para consegui-lo, lutavam!
Quantos movimentos foram realizados!
Eu penso que você, na ânsia de querer continuar, procurou adeptos onde não deveria, em relação aos anseios do povo, agindo de um modo um tanto incoerente!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Ave sem Ninho Ontem à(s) 8:10 pm

— De que fala?
— No apoio que foi buscar!
Aquele mesmo que já havia combatido, aquele mesmo contra o qual lutara e fora causa do golpe, em 37! Lembra-se?
— Fala dos comunistas, não é verdade?
— Sim, irmão!
Se tanto realizou em 1937, até forjando planos para atemorizar a população contra os comunistas, como queria que fossem aceitá-los?
Apenas porque lhe convinha?
— Mas a situação estava diferente!
— Diferente em quê?
Lembra-se do que efectuou, junto daqueles que se movimentavam pelas ruas, conclamando que o queriam no governo?
— Os queremistas!
— Eles alarmaram novamente o povo, que sabia da existência de comunistas infiltrados naquele movimento, e as pessoas temiam, assustadas por tudo o que o seu próprio governo lhes infundira!
Essas considerações eram feitas na mesma sala em que realizavam o trabalho, mas Irmão José, no desejo de liberar o jovem da sua tarefa, convidou o companheiro para sair.
Getúlio levantou-se, deixou-se dirigir, e caminhando sem nada dizer, chegaram ao jardim.
— Aqui é um bom lugar para conversarmos, pode continuar!
— De tudo isso, o que está no meu coração, neste momento — parece até que vivo novamente aquela situação — é a grande mágoa por ter tido que deixar o governo!
O senhor imaginou a humilhação que senti, tendo que chegar aos meus familiares e dizer que tínhamos que desocupar o palácio, que partiríamos para São Borja, porque havia perdido o meu posto?
— Posso imaginar!
Deve ter sofrido muito!
Entretanto, teve um lado muito bom, que deve analisar e agradecer àqueles que o retiraram de lá!
— Como assim?
Eu não entendi!
Como devo agradecer aos que de lá me retiraram?
— Pelo que temos visto sempre, quando verifica as acções indevidas que praticou, tem sofrido muito, não é mesmo?
— Sim, é verdade!
O senhor tem me acompanhado e sabe o quanto me sinto abalado por tudo o que fiz, contrário ao que pretendia!
— Pois então, do momento em que é impedido de continuar, também os seus compromissos para com a Justiça Divina passam a ser menores!
Se foi impedido de praticar acções que poderiam comprometê-lo mais, deveria agradecer àqueles que o impediram de realizá-las!
— Se olharmos por esse lado, o senhor tem razão!
Eu não sei o que teria resultado, se lá houvesse permanecido!
— Como pôde ver, tudo estava mudado, e ser-lhe-ia muito mais difícil!
Quem sabe a sua retirada teria sido outra, e muito pior!
— O senhor tem sempre uma palavra de consolo ao meu abatimento!
Isso, vejo-o agora com a sua ajuda, mas, naquele momento, diante de uma Nação inteira, diante de meus familiares, foi muito triste e humilhante!
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 83278
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Getúlio Vargas em Dois Mundos - Eça de Queirós/Wanda A. Canutti

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum