Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Página 3 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:54 pm

Mantenham-se atentos para que o desequilíbrio de Geralda possa ser contido de forma eficiente e sem maiores danos nervosos.
Adelino e Jerónimo trocaram olhares indagadores, advertidos pela palavra prudente do director espiritual do grupamento e elevaram-se em preces para que suas energias se mesclassem também às dos demais servidores devotados da casa espírita.
Geralda, até aquele momento, era tomada pela emoção do reencontro com o ser cobiçado, da ilusão de conquistá-lo, da saudade reprimida, do desejo de mulher.
Mal sabia ela, no entanto, que Ribeiro, buscando o tratamento de choque tão indispensável em casos como esses e visando sua recuperação através da dor moral que desperta a alma, trabalhara no sentido de que, naquela noite, Aloísio comparecesse ao centro espírita acompanhado, pela primeira vez, da noiva Márcia, moça de grande beleza e simpatia, rival muito superior à própria Geralda.
Aloísio se mantinha à porta, aguardando a chegada da noiva, que havia se atrasado nas providências de desligar o telefone celular que carregava normalmente em sua bolsa.
Foi somente aí que, abrindo passagem com cavalheiresco gesto, Aloísio permitiu que Márcia penetrasse o salão, endereçando-se ambos para cadeiras vazias que se encontravam mais ao fundo, de onde poderiam escutar a palestra da noite.
Num átimo, Geralda se viu fulminada pela realidade.
Suas esperanças estavam em choque, atingidas pelo duro golpe e transformadas numa mescla de ódio e inveja, carregando todo o seu potencial destrutivo numa saraivada de maus pensamentos, impropérios mentais, exortações chulas, promessas de vingança, num terrível descontrole próprio de quem, vivendo na superfície de si mesma, ainda não se habilitara para as lutas reais do novo mundo contra o velho.
As tormentas vibratórias repercutiam à sua volta como uma tempestade eléctrica que as entidades amigas, a muito custo, conseguiam neutralizar, procurando diminuir os danos à própria médium e à delicada tessitura de sua sensibilidade.
Geralda não sabia se odiava o rapaz ou a moça, ou os dois ao mesmo tempo.
Se desistia da aventura de conquista pelo balde de água fria que recebera ou se, estimulado por ele, ainda mais se obstinava na luta, como desafio para seu ego feminino.
Destruir a noiva, tomar-lhe o rapaz, caluniá-la anonimamente, inventar mentiras a seu respeito, fazer-se de amiga para penetrar-lhe a intimidade e recolher informações para melhor planejar seus futuros passos, tudo isso passava pela cabeça da infeliz mulher.
Sabia-se em desvantagem diante de Márcia.
Mas isso só aumentava o desafio de conseguir frustrar aquele relacionamento, provocando o interesse de Aloísio, mesmo que para isso usasse os instrumentos de sedução que ela tão bem conhecia, por já fazerem parte de sua personalidade de outras vidas.
Todas estas ideias eram a matéria–prima de suas cogitações desesperadas.
E numa mistura de raiva e decepção, frustração e tristeza, humilhação e cansaço, Geralda entregou-se às lágrimas enquanto o palestrante falava sobre o tema da noite.
Chorou em silêncio durante boa parte da exortação da Boa Nova.
Terminada a reunião, Aloísio, a noiva e os demais frequentadores saíram em silêncio, permanecendo no recinto, apenas os trabalhadores do serviço mediúnico.
Observando-lhe o estado abalado, Jurandir, o dirigente encarnado da instituição, acercou-se dela perguntando se estava em condições de ser útil naquela noite.
Foi quando, demonstrando todo o despreparo para encarar a si mesma diante das indispensáveis transformações, continuando a preocupar-se apenas com as aparências, saiu-se com esta:
- Não se preocupe comigo, Sr. Jurandir.
Emocionei-me muito com as palavras do orador da noite, que me tocaram profundamente a alma!
Mal supunha o dirigente, que Geralda não sabia dizer nem mesmo qual havia sido o tema da palestra.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:54 pm

12 - DÚVIDAS E ORIENTAÇÕES
Regressando-se aos trabalhos espirituais que se realizavam na casa espírita, horas depois que todos os seus membros encarnados se haviam retirado, encontravam-se reunidos Ribeiro, os vinte e quatro encarnados afastados temporariamente de seus corpos, entre os quais Jurandir, os médiuns conscientes do trabalho de amparo aos inúmeros necessitados da alma, além de Jerónimo e Adelino.
Estes últimos, atendendo ao pedido de Ribeiro, teciam observações sobre o aprendizado obtido na convivência com aqueles que haviam sido visitados.
Tocando o assunto directamente, Ribeiro indagou, amistoso:
- E então, meus amigos, puderam ter, nestas rápidas visitas, uma pálida ideia dos problemas gerais que temos de contornar todos os dias?
- Sim, Ribeiro, as surpresas foram muito educativas – respondeu Adelino, falando em nome do amigo e companheiro de visitação, Jerónimo.
- Muitos podem pensar que a maior carga de trabalhos de uma igreja qualquer esteja no atendimento dos desajustados que lhe busquem o amparo, dos famintos que lhe batem à porta, dos enfermos físicos ou morais que chegam em desespero, dos homens sem fé que querem resolver seus problemas com os favores divinos.
Tudo isso é matéria-prima da casa de Deus, naturalmente aberta para servir de entreposto de Esperança e escola do Espírito, ensinando as criaturas como fazer para superar os problemas originados nas tristes teias da ilusão dos sentidos, das ambições desmedidas, das vaidades sem controle, dos excessos variados.
Nessa faina, as casas religiosas possuem o objectivo directo, servindo como porto para os navios avariados realizarem reparos, reabastecimento, e receber novas cargas a serem transportadas para outros destinos.
Para que isso possa acontecer, as diversas agremiações doutrinárias precisam estabelecer um organograma de actividades, desenvolvendo departamentos formais ou informais, criando áreas de atendimentos específicos, objectivando dar uma dinâmica mais efectiva nas tarefas a que se proponha.
Então, supondo que estejamos em uma igreja católica, é necessário que quem esteja dentro do templo escute e compreenda a palavra do celebrante para que a cerimónia não fique prejudicada em seus objectivos de consolar os desesperados pela força da palavra evangelizadora.
Supondo que essa mesma igreja mantenha um serviço de amparo aos miseráveis e famintos, precisará possuir um local adequado onde trabalhadores receberão as solicitações de alimento, de roupa, de medicamentos e darão a solução adequada à cada necessidade.
Precisará haver um local para armazenamento dos víveres, dos remédios e vestimentas, organizados de acordo com as numerações, as necessidades alimentares e as doenças principais, facilitando o atendimento rápido e eficaz de cada necessitado que bata à porta da instituição.
No entanto, se esse trabalho pode consumir muito tempo e esforço dos próprios trabalhadores voluntários daquela igreja, no idealismo que dá vida às exortações evangélicas recomendadas nos sermões, que pensar se, entre os voluntários que lá prestam serviços, entre os próprios trabalhadores do culto, encontrássemos ladrões surripiando os alimentos destinados aos famintos da rua?
Que pensar se, entre os servidores bem postos na vida, que podem pagar consultas e adquirir remédios, encontrássemos os que desviassem as medicações destinadas aos enfermos, carregando-as para suas casas ou estabelecendo um mercado negro, sem o conhecimento do sacerdote que confia nos seus ajudantes encarnados?
Que pensarmos das atitudes mesquinhas de trabalhadores voluntários que, às escondidas do principal responsável pela igreja, transformassem o atelier de costura destinado aos humildes em uma loja para abastecer seus guarda-roupas privados, seleccionando e levando para suas casas as peças em melhor estado, deixando aos pobres apenas os refugos mais andrajosos?
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:54 pm

Isso seria algo muito triste e desalentador, não é?
Pois estejam seguros que, no caso que cito como exemplo, o problema mais grave do pobre sacerdote bem intencionado, não é o povo faminto que busca seu colo de pai para encontrar lenitivo.
O problema mais pungente é o da falta do idealismo sincero entre os que se candidatam ao serviço do Bem.
Acostumados às trocas e aos negócios mundanos, a maioria das criaturas perdeu-se no cipoal dos interesses, não lhes pesando na consciência o facto de estarem tirando a comida da boca de miseráveis famélicos, a roupa de mendigos esfarrapados, o remédio de enfermos infelizes.
Esse é dos mais graves problemas do Cristianismo na Terra.
Manter-se cristão no meio de criaturas que, em sua maioria, não amam o Cristo, os que fazem belos discursos sobre o idealismo e o amor ao próximo, mas que, infelizmente, só pensam em si mesmos.
Então, Jerónimo, Adelino, aqui também em qualquer Casa Espírita do mundo, como casa de Deus igual a qualquer outra, defrontamo-nos com a mesma realidade, apesar de podermos contar aqui, com um significativo número de voluntários sinceros, devotados por Amor a Jesus graças a fé raciocinada e à compreensão dos mecanismos da Justiça Divina.
Isso não nos isenta, entretanto, dos casos difíceis que procuramos administrar visando, em primeiro lugar, a melhoria do indiferente.
Quando isso não se torna possível, então temos de proteger o grupo a que pertencemos das mazelas que podem ser produzidas pela permanência daquele trabalhador equivocado até que, não demonstrando qualquer desejo de se emendar, acabe sendo afastado por meios naturais, evitando-se prejuízos para o todo.
Como exercício da verdadeira caridade, nos compete conviver com irmãos insinceros, aproveitadores das coisas divinas, açambarcadores do Pão Celestial, negociadores do Templo da Vida, agenciadores dos Favores de Deus, sempre com o intuito de reformar suas intenções e acercá-los da Grandeza dos Valores Espirituais.
E isso acontece na fileira de todas as religiões.
Em todas, encontramos pessoas que desejam servir a dois senhores.
Escutando as prudentes e precisas observações do dirigente espiritual, Jerónimo aproveitou-se de espontânea pausa e comentou:
- Realmente, suas ponderações são justíssimas.
Surpreende notar o tamanho do despreparo não somente do povo que acorre à casa de Deus, mas, muito mais grave, o dos que se candidatam a ser seus servidores qualificados, trabalhando nas dependências das instituições sob a confiança de seus dirigentes encarnados e desencarnados.
Ouso afirmar que, dentre os problemas evidenciados na nossa rápida visitação, quase todos estavam vinculados a desajustes na área do sexo ou da ambição.
Essa constatação surpreendeu-me porquanto, em realidade, sempre aprendemos que o sexo é das mais nobres e lindas manifestações das forças superiores.
Supor que criaturas sem berço e sem orientações tenham escolhido a estrada tortuosa dos prazeres desenfreados ou do cultivo da posse não é de se espantar.
Mas imaginar que pessoas esclarecidas, cultas, de bom padrão intelectual e, mesmo, dominando certos conceitos religiosos importantes venham se entregando a tais desequilíbrios da mente, isso é estarrecedor.
- Sim, meu amigo.
Os desajustes da afectividade induzidos pela perniciosa proliferação de chamamentos eróticos é recurso habilmente manipulado pelas forças inferiores, no intuito de manter o ser encarnado sob o jugo pesado das emoções animalizadas dos prazeres.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:54 pm

Naturalmente que o sexo não pode ser culpado por tais desatinos, tanto quanto o gosto agradável de certos alimentos não pode ser culpado pela obesidade dos que deles abusam.
No entanto, por saberem da carência dos seres, das suas ligações ainda tão fortes e resistentes com as coisas fáceis, estas forças inferiores, que lutam as últimas lutas para manterem o domínio sobre este planeta, investem pesadamente na proliferação de tais chamamentos à consciência animalizada dos homens e mulheres de hoje, amolentados pelo exercício do prazer fácil ou pelo exercício do egoísmo que quer possuir sempre mais.
Para se permitirem actuar dessa maneira, desculpam-se com as alegações de que se Deus deu ao homem esses direitos, não há crime algum em desfrutá-los.
Então, o que observamos presentemente, é a acção desses espíritos na hipnose dos incautos, inoculando-lhes a pior de todas as doenças.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:55 pm

A DOENÇA DA VONTADE.
Não ignoram vocês que a humanidade luta contra inumerável gama de enfermidades que fustigam da pele aos mais profundos recônditos do esqueleto calcário.
No entanto, o homem ainda não se apercebeu de que a vontade enfermada é a porta de entrada da maioria das doenças do corpo e do espírito.
E a sociedade actual, submetida por tais conceitos imediatistas, cultiva a lei do mínimo esforço, da fraqueza do querer, da exploração de tudo o que é mais fácil e prazeroso, sem se incomodar com os efeitos negativos que isso produz a médio ou longo prazo na vida dos que assim se conduzem.
Por tais motivos, o exercício dessa poderosa alavanca do Espírito tem sido menosprezado, redundando a vida social numa constante busca de nada fazer ou de se fazer cada vez menos, almejando uma cada vez maior remuneração material pelo ócio.
Malandros que se aposentam cinco vezes são vistos como heróis da esperteza, a serem imitados.
Inescrupulosos que enriquecem da noite para o dia graças a golpes milionários servem de inspiração para mentes fracas na virtude, que os invejam e sonham conseguir o mesmo sucesso.
Enaltecendo as facilidades do “dolce far niete”, a sociedade tem adestrado seus membros a se manterem à custa de estimulantes químicos, a descobrirem novas emoções através de bebidas, a se fantasiarem com roupas e apetrechos da vaidade, a desenvolverem bem as aparências, como se um espantalho bem vestido pudesse imitar um Homem de Verdade.
Para se ter alguém que tenha consciência, que saiba o que deseja e o que fazer para que seus valores possam ser construídos, não basta ter uma roupinha bem recortada e com as cores combinando, muito menos usar jóias e perfumes ao sabor das conveniências e modismos.
Como o exercício da vontade tem sido usado somente para garantir facilidades imediatas e o sacrifício seja visto como insanidade ou loucura por parte daquele que o vivencia, desenvolvemos essa sociedade que enaltece o golpismo, a falta de carácter, o aproveitamento de oportunidades e a necessidade de conquistar vantagens.
Então, para dirigir os vivos, basta que os mortos manipulem sua vontade frouxa no sentido de encaminhá-la para a vivência dos prazeres mais inferiores, os que são mais gostosos e que exigem menos esforço de contenção.
A técnica é muito simples:
Primeiro amolentam-lhes o querer, fazendo com que não se preocupem com disciplinas desagradáveis, com contenção de seus impulsos.
Depois, exploram as suas fraquezas, já não mais combatidas pelas sentinelas da virtude e de uma consciência desperta.
Então, acenam à animalidade milenar como o caçador oferece o queijo ao rato na armadilha que o prenderá, oferecendo-lhes o cultivo do possuir e do gozar.
Vejam que, em primeiro lugar, essas inteligentes entidades atacam a trincheira da consciência, neutralizando uma vontade viciada e instintiva.
Depois, oferecem-lhes o que a primitividade animal mais deseja, com base na satisfação dos instintos milenares da animalidade.
Produzindo prazer e gerando emoções intensas, a sexualidade e o possuir são duas alavancas muito importantes para o melhoramento do Espírito que, com eles, poderá construir relacionamentos importantes para o amadurecimento de suas noções sobre a vida. Graças a eles, os homens formarão famílias e desenvolverão a inteligência para os ganhos materiais, melhorando a própria Terra.
Todavia, constitui o caminho que as entidades negativas se valem para manter o candidato a HOMEM/ESPÍRITO preso nas algemas do HOMEM/CARNE.
Por isso, aqui em nosso centro, não temos trabalho somente com os encarnados em desequilíbrio material ou moral, nem somente com os espíritos que chegam no estado de perturbação e ignorância que vocês tão bem conhecem.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:55 pm

Precisamos modelar, igualmente, o barro frágil dos nossos amigos encarnados que se apresentam como ferramentas do Bem, que, às vezes, nos dão mais trabalho do que os outros, perdidos e desalentados.
- Mas os trabalhadores conhecem a doutrina de Amor e a existência do mundo espiritual?
– comentou Adelino, enfático.
- E serão mais responsabilizados por isso, em caso de fracasso deles mesmos.
Apesar de tudo, eles continuam a ser os arquitectos das próprias vidas.
O sucesso que conquistem ou o fracasso que apresentem serão os demonstradores de seu carácter.
Muitos trabalhadores espíritas se imaginam às portas do Paraíso, credores de todos os favores do Mundo Espiritual porque comparecem às reuniões uma ou duas vezes por semana.
Acham-se no direito de esperar de nós aquilo que só compete a eles construir.
Revestem-se de uma presunção de santidade somente porque recebem meia dúzia de entidades que lhes são encaminhadas até para, falando por intermédio deles mesmos, poder alertá-los dos equívocos que, como médiuns, já não deveriam mais cometer.
Então, para educarmos Peixoto de forma subtil e indirecta, temos feito com que entidades avarentas, materialistas, interesseiras se manifestem por seu intermédio com maior predominância, até por questão de sintonia com as suas próprias inclinações, tanto quanto temos procurado fazer Geralda escutar as advertências de entidades vinculadas a ela própria, que comentam, falam de condutas ciumentas, que contam do ódio que sentem por mulheres fingidas e astutas na afectividade desajustada.
Nenhum deles poderá dizer que não recebeu ajuda do Mundo Espiritual.
Por isso tudo, nosso trabalho se multiplica ainda mais, já que temos de amparar com medicação aqueles que, como enfermeiros, deveriam estar cuidando dos doentes.
Lembrando-se de uma triste experiência que enfrentara, como dirigente daquele grupo de trabalhadores também em tratamento, Ribeiro relatou, sucintamente:
- Cansados de ouvir as exortações do Evangelho sobre o Amar o Próximo como a si mesmo até o mais incondicional Amor aos Inimigos, pareciam doutorados nessa matéria religiosa envolvendo o sentimento por excelência.
Isso ia assim, até o dia em que um dos trabalhadores da instituição, viúvo havia alguns meses de uma irmã que também aqui trabalhava, resolveu refazer sua vida afectiva na companhia de uma frequentadora mais jovem, moça boa e respeitável, esforçada e digna, mas que foi recebida com estiletes mentais de inveja, de crítica e de condenação somente porque aceitara a corte daquele que, solitário, se sentia incapacitado de manter-se na estrada desértica do afecto.
Tendo escolhido aproximar-se da jovem que, economicamente mais necessitada, sem amparo ou ombro amigo, contava apenas com as próprias forças para o sustento de si mesma e de seus pais idosos, acabou por produzir uma situação de conflito mental no seio dos próprios irmãos de convicção religiosa, dentro da instituição espírita a que servia com denodo e sinceridade.
A situação abriu perigosas brechas mentais em numerosos “doutores em Amor” que falavam desse tema nas palestras evangélicas, isso sem mencionar as senhoras ditas pulcras, que fuzilaram a infeliz candidata ao segundo casamento, que precisou afastar-se das reuniões públicas pela hostilidade silenciosa e maldosa que as pessoas daqui mesmo lhe destinavam, por detrás da falsidade dos sorrisos insinceros e dos apertos de mão.
Nesse período, tornou-se maior o assédio das forças inferiores junto dos trabalhadores e dos frequentadores da casa, impondo-nos um significativo esforço das defesas vibratórias para compensarmos os desajustes nas tarefas de resgate dos sofredores.
Essa ocorrência foi vista pelas inteligências inferiores como oportunidade única para assaltarem a instituição, visando arruinarem seus esforços de levar a iluminação aos seres debilitados pelas quedas morais.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:55 pm

Interessante observar, meus amigos, que aqueles que mais criticavam a atitude do casal, traziam registados em suas fichas pregressas, débitos grossos, equívocos muito piores do que aqueles de que estavam acusando seus companheiros de ideal.
Haviam gerado desgraças familiares, sido donas de bordéis, aliciadoras de jovens, vendedoras de corpos, desagregadoras de lares, agenciadoras de mulheres, locadores de prostíbulos, disseminadores de vícios variados.
Justamente esses, que hoje estavam no caminho do Evangelho para remissão dos próprios pecados, se erguiam como juízes severos e inflexíveis dos dois companheiros de instituição que não faziam nada de clandestino ou escondido.
Encerrando o diálogo fraterno com o bom humor que lhe era característico, Ribeiro arrematou:
- Que pensariam os “espíritas” se observassem essas condutas hipócritas com as quais pensam que estão aptos a subir aos Céus?
Mas como eu também preciso superar as minhas muitas e graves deficiências, ainda não fiz por merecer trabalhar em companhia melhor.
Por isso, estes irmãos são a bênção de que preciso naquilo de melhor que por eles possa fazer.
Assim, sigo admirando meus amigos de carne, como um humilde professor de favela, que ama seus aluninhos desnutridos e sujos, não tanto pelo que eles são naquele momento, barrigudinhos, de pés no chão, de roupas rasgadas e olhos fundos.
Vou amando-os com a compaixão dos que gostariam que a sorte lhes fosse diferente, mas, também, com a certeza de que, um dia, serão os Servos de Deus para as gloriosas realizações da Nova Humanidade.
Estejam certos de que, no curso dos milénios, ainda nos orgulharemos muito deles todos.
Os esclarecimentos faziam pensar sobre conceitos muito diferentes daqueles que a maioria está acostumada a considerar.
Nada de violência nem de cartilha moralista a proibir ou a julgar, condenando.
Não se tratava mais de mudar o todo para mudar o indivíduo.
A luta do presente é a do indivíduo mudar-se a si mesmo para auxiliar na mudança do todo.
As entidades asselvajadas pretendiam manter o maior número dos membros da humanidade no mesmo padrão de vibrações, pelo exercício descabido e desordenado de seus impulsos inferiores.
O entendimento espiritual fazia luz nas consciências e, por isso, surgia como o pior inimigo do Mal, o que fazia com que tais inteligências trevosas se obstinassem em combater todos os membros do colégio apostolar que se dedicassem à prática de virtudes enobrecedoras do Espírito.
Ridicularizar os exemplos de nobreza, negar-lhes espaço nos meios de comunicação, fazer a exibição do grotesco através do enaltecimento da ARTE-LIXO, reduzir a harmonia musical a grunhidos e gemidos, a ruídos tribais, transformar a pintura em mistura grotesca e desarmónica de cores, valorizar a mensagem depressiva, estimular a corrupção e facilitar os escândalos políticos, apequenando os representantes do povo aos olhos dos próprios eleitores, atacar as lideranças religiosas cujas virtudes morais de resistência eram perigosas fortalezas lutando contra a ignorância e o mal, tudo isso eram mecanismos de acção directamente orquestrados pelos dirigentes trevosos que, assim, tentavam garantir espaço na mente e nos sentimentos dos homens, sem perder o controle que exerciam sobre eles.
Este seria o teste final para todos, os que cultivassem o mal e os que se opusessem a ele poderiam assumir seus postos, porque não lhes faltaria oportunidade de mostrar em que trincheira se encontravam.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:55 pm

13 - PREPARANDO A EXCURSÃO
Parábola da Figueira

Mateus, 24, 32-44

32 Aprendei, pois, esta parábola da figueira:
Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.
33 Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.
34 Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam.
35 O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão-de passar.
36 Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.
37 E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.
38 Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca,
39 E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.
40 Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro;
41 Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada a outra.
42 Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há-de vir o vosso Senhor.
43 Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.
44 Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há-de vir à hora em que não penseis.

Enquanto se empenhavam em atender as inúmeras actividades que aguardavam pelos dedicados trabalhadores espirituais nos diversos sectores da instituição espírita, a certa hora da madrugada foram surpreendidos pela chegada do insigne Médico dos Pobres, o bondoso Bezerra de Menezes.
A presença do amável benfeitor encheu o recinto de balsâmico vigor, infundindo ânimo, esperança, alegria, meditação, reverência, emoção em cada coração que lá se unia para a vivência dos postulados do Cristo Vivo.
O magnetismo daquela alma se impunha sem necessidade de palavras ou gestos.
Mesmo entre os espíritos necessitados, ali albergados à espera de atendimento, a chegada do apóstolo do Amor Verdadeiro se igualava à chegada de rutilante estrela no abismo da dor moral em que cada um vivia.
Os mais lúcidos prostravam-se diante da visão luminescente que eles próprios não conseguiam focalizar com nitidez, mas imaginavam tratar-se de um emissário de Deus.
Os mais violentos e revoltados sentiam entorpecer seu ímpeto ao contacto daquela vibração suave e intensa, diminuindo sua agressividade.
Acostumado a tal modificação favorável, Ribeiro achegou-se ao querido médico, solicitando-lhe, humildemente:
- Prezado paizinho, as bênçãos de sua presença entre nós correspondem à generosa concessão do Justo para nossas almas atribuladas.
Enquanto nos esforçamos com o melhor de nosso coração empedernido, conseguimos regulares efeitos nos espíritos que aqui estão.
No entanto, sua presença em nosso meio por si só tem o condão de ser lenitivo, anestésico, alimento e luz para todos.
Veja como se aquietam as consciências e até mesmo os mais difíceis se intimidam. Por isso, paizinho, rogo ao seu coração lhes dirija a palavra generosa e instrutiva para que aproveitemos sua palestra como medicação activa e eficiente na terapia colectiva.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:55 pm

Entendendo o alvitre de Ribeiro, Bezerra o abraçou, trazendo-o ao seu lado e assomou à pequena elevação de onde poderia ser visto pela maioria dos que ali se encontravam asilados temporariamente, à espera de transporte para seus destinos ou de tratamento para seus problemas.
Como se os dois espíritos luminosos se fundissem em uma única aura rutilante mesclando os nuances de róseo, dourado, verde e azul, a pequena tribuna tornou-se um Sol iridescente, fazendo silenciar todo o ambiente e atraindo todas as atenções.
- Amados filhos de Deus, irmãos de sofrimento.
Trago-vos a palavra da Esperança albergada nas asas da Fé Raciocinada.
Prometeram-lhes o Paraíso de venturas ou o Inferno de tormentos.
E, se observarmos nosso íntimo, certamente não conseguiremos encontrar o caminho para as Estrelas.
Então, pensaremos que nos resta o mergulho nas agruras comburentes dos lugares satânicos.
No entanto, Jesus nos convoca a outras jornadas.
Não poderiam supor que Deus se deliciaria vendo o tormento dos filhos que criou no mais acendrado amor.
A Misericórdia nos convoca a modificar nossos sentimentos, alijando a pesada carga do rancor, do desejo de vingança, do ódio contra um irmão mais enfermo do que nós mesmos.
O Mundo Melhor não possui lugar para esse sentimento perturbado, descontrolado e sem base no Amor.
Poderemos pensar que, dessa maneira, a Justiça estaria sendo burlada, mas, em realidade, a Grandeza de Deus não precisa do nosso ódio para que a sua Justiça funcione com perfeição, já que ela não é feita de vingança.
Enquanto odiamos nosso perseguidor, nos igualamos a ele.
Entretanto, quando nos elevamos sobre as próprias lacerações, e os corações se balsamizam com o sentimento de compaixão pelos próprios adversários, movimenta-se a Justiça para retirar-nos do cárcere de dores que já não mais mereceremos.
Se estão aqui é porque já deram os primeiros passos em favor de novo futuro.
Lá fora, multidões perambulam entre as lágrimas e os impropérios.
Reclamando do mal, tornam-se agentes da maldade por imaginarem que Deus precisa de seus braços vingadores para levar o sofrimento aos que os prejudicaram.
Tola ignorância, que faz deles vítimas e algozes ao mesmo tempo, fechando seus corações para o entendimento da Justiça banhada pela Misericórdia do Pai.
Não percam tempo, porquanto a selecção já vai adiantada, e os castelos de ilusão serão derretidos pelo Sol da Verdade.
Aproveitem esta oportunidade e recebam a alentadora mensagem do Cordeiro Divino, a pedir paz no coração, perdão nas atitudes e confiança no futuro a fim de que participemos do Banquete Real.
Sem isso, não fugiremos do caminho áspero do exílio para o qual bilhões de almas já estão sendo encaminhadas pelas próprias deliberações infelizes.
Este é o momento, meus filhos.
Não desperdicem a hora preciosa, porque da mesma forma que o Universo não brinca, as Leis Divinas não se equivocam.
Mudem as vibrações para que não sejam forçados a mudar de mundo.
A última frase produzira um choque de elevada voltagem na alma dos ouvintes, já que a energia irradiada de Bezerra e Ribeiro se transformara em milhares de raios que chegavam ao centro cerebral e, como uma explosão magnífica, atingira o cerne de todos os espíritos sofredores, sem deixar de fora os próprios trabalhadores que, também necessitados, estavam no caminho do próprio burilamento através do trabalho do bem e do amor que espalhavam aos aflitos e invigilantes.
Deixando a plataforma, dirigiram-se para junto dos trabalhadores que, solícitos, desejavam se oferecer para as tarefas que pediam braços devotados.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sex Nov 09, 2018 8:56 pm

- Obrigado, paizinho.
Com a energia amorosa de sua palavra, nossas medicações ganharão em poder e profundidade por serem ministrados a irmãos, agora, mais abertos às modificações indispensáveis.
- Ribeiro, seu amor e o carinho de todos os irmãos devotados desta casa são o melhor remédio que pode haver, porque são a expressão sincera do próprio Jesus em acção nesta casa.
Podem não imaginar, mas nós, que em serviço em vários pontos da Terra neste momento nos deslocamos pela atmosfera em todas as direcções, somos testemunhas vivas da presença do Cristo, directamente conectado com as instituições onde o Verdadeiro Sentimento Fraterno encontra guarida através da doação espontânea e desinteressada e da afectividade dos seus membros.
Observamos pontos luminosos espalhados pela escuridão dos continentes e em cada um deles sabemos tratar-se de uma manjedoura na qual Jesus ligou se coração confiante.
Cada foco incrustado no Mundo Físico, como uma estrela perdida no rochedo terreno, é abastecido e iluminado por um raio de energia que parte directamente do coração do Divino Mestre, através do qual Seu sentimento inspira os heróicos trabalhadores do Amor a continuarem no serviço, sem esmorecimento, sem diminuição de ânimo e sem perda da sintonia com o Bem.
Tais instituições não são muito abundantes, como vocês devem supor, em decorrência do despreparo da maioria dos dirigentes e trabalhadores por falta de renúncia pessoal, de abnegação pelo trabalho de sacrifício, pelo não exercício dos princípios elevados do Perdão e do esquecimento do Mal, na doação incondicional.
Apesar disso, em muitas partes da Terra encontram-se casas de Deus vivendo o Evangelho de Amor, espalhando Esperanças sobre os deserdados do Mundo, não porque dão roupas, pão, remédios, somente, mas porque espalham afecto e humanidade em tudo o que fazem.
Posso lhes dizer que, sobre esta instituição, fulge melhoria da Terra, ainda que, tanto aqui quanto em toda parte, existam encarnados interessados, indiferentes, oportunistas e exploradores que desejam furtar o celeste Manah, como já vêm fazendo há milénios.
Os trabalhadores espirituais que escutavam Bezerra não podiam deixar de esconder a emoção do que ouviam.
Jamais haviam pensado que, sobre eles, directamente do augusto coração do Cristo, um raio luminoso os unia ao sentimento do Divino Amigo. Alguns não continham as lágrimas, que escorriam em silêncio.
Para não perder a oportunidade de aprofundar o ensinamento, Bezerra continuou:
- Igrejas existem, em todas as partes, que recebem das forças espirituais o quinhão que lhes cabe no esforço espiritual de transformação verdadeira.
Muitas se perdem nos cipoais da matéria, desprezando as dádivas sublimes e apegando-se ferreamente ao ouro do mundo.
Outras, entre as quais muitas instituições espíritas, esbarram nas disputas palavrescas, nos certames da vaidade doutrinária, na contenda entre pontos de vista ou interpretações sobre detalhes inócuos, perdendo-se em polémicas e, não se precavendo do perigo das seduções humanas no seio da Obra do Pai como aconselhava Jesus, avançam pelo terreno da hostilidade e da maledicência entre seus membros.
Várias delas, inclusive, prestam serviços da caridade, matam a fome dos infelizes, enchendo-lhes a barriga com caldos e sanduiches mas não deixam de ser famintos da alma alimentando famintos do corpo.
Enquanto disputam primazias doutrinárias, esquecem-se das advertências Evangélicas acerca do Fermento dos Fariseus, que levantam polémicas, discutem e querem provar suas teses em longas contendas doutrinárias.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:35 pm

Lemos em Mateus:
1 E, chegando-se os fariseus e os saduceus, para o tentarem, pediram-lhe que lhes mostrasse algum sinal do céu.
2 Mas ele, respondendo, disse-lhes:
Quando é chegada a tarde, dizeis:
Haverá bom tempo, porque o Céu está rubro.
3 E, pela manhã:
Hoje haverá tempestade, porque o céu está de um vermelho sombrio.
Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não conheceis os sinais do tempo?
4 Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal do profeta Jonas.
E, deixando-os, retirou-se.
5 E, passando seus discípulos para o outro lado, tinham-se esquecido de trazer pão.
6 E Jesus disse-lhes:
Adverti, e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus.
7 E eles arrazoavam entre si, dizendo:
É porque não trouxemos pão.
8 E Jesus, percebendo isso, disse:
Por que arrazoais entre vós, homens de pouca fé, sobre o não terdes trazido pão?
9 Não compreendeis ainda, nem vos lembrais dos cinco pães para cinco mil homens, e de quantos cestos levantastes?
10 Nem dos sete pães para quatro mil, e de quantos cestos levantastes?
11 Como não compreendestes que não vos falei a respeito do pão, mas que vos guardásseis do fermento dos fariseus e saduceus?
12 Então compreenderam que não dissera que se guardassem do fermento, mas da doutrina dos fariseus.
(Mateus, cap. 16, 1 a 12)

Depois de breve pausa, continuou explicando:
- Observamos que a preocupação de fariseus e saduceus era a de pedirem provas, um sinal do céu.
Encontramos, então, o Divino Amigo falando-lhes de coisa óbvias, que estavam à luz para que qualquer um as pudesse ver e entender e, ainda assim, tais “autoridades na fé” eram incapazes de perceber.
Discerniam sobre os fenómenos atmosféricos, mas não observavam com a mesma acuidade os sinais dos importantes e decisivos momentos para a humanidade.
Assim, filhos, muitos religiosos dos tempos modernos, antigos fariseus e saduceus reencarnados, disseminam a confusão e a disputa entre os chamados na última hora.
Tocados pela vaidade intelectual e pelo orgulho dos “pontos de vista”, são eles o verdadeiro fermento dos fariseus de quem todos devemos nos acautelar para que não percamos o já escasso tempo em discussões estéreis e destruidoras da harmonia e da paz.
Os que sofrem esperam pelo lenitivo que lhes restaure a fé e a confiança em Deus.
Não batem à porta buscando discutidores nem conflitos estéreis.
Os religiosos que gastam seus esforços nas faustosas e infindáveis discussões dessa natureza deixaram-se contaminar pelo fermento dos fariseus, imobilizando seus ideais e confundindo seus raciocínios.
Gastam em palavras o tempo e a energia que, se fossem consumidos através da prática do Bem junto aos semelhantes, melhor demonstrariam o valor das teses que defendem, graças aos efeitos práticos das atitudes, transformando outras vidas.
Certamente não há aqui nenhuma censura aos que raciocinam buscando entendimento, aos que comentam desejando aprender, aos que trocam informações com o intuito de enriquecimento espiritual.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:35 pm

Estes não polemizam, não agridem os que não pensam como eles, não formam partidos nem seitas, não se organizam em grupos em prejuízo da obra de Amor que pede o silêncio das próprias vaidades e a superação das próprias diferenças.
Se todos aprendêssemos com os ensinamentos espíritas, veríamos dissipado esse véu ilusório pela palavra orientadora e amiga com que O ESPÍRITO DE VERDADE, o próprio Jesus, alerta os trabalhadores verdadeiros da Obra do Pai, encontrada sob o título:
“Os obreiros de Senhor
“Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da Humanidade.
Ditosos serão os que houverem trabalhado no campo do Senhor, com desinteresse e sem outro móvel, senão a caridade!
Seus dias de trabalho serão pagos pelo cêntuplo do que tiverem esperado.
Ditosos os que hajam dito a seus irmãos:
“Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra”, porquanto o Senhor lhes dirá:
“Vinde a mim, vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aos vossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra!”
Mas, ai daqueles que, por efeito das suas dissensões, houverem retardado a hora da colheita, pois a tempestade virá e eles serão levados no turbilhão!
Clamarão:
“Graça! Graça!”
O Senhor, porém, lhes dirá:
“Como implorais graças, vós que não tivestes piedade dos vossos irmãos e que vos negastes a estender-lhes as mãos, que esmagastes o fraco, em vez de o amparardes?
Como suplicais graças, vós que buscastes a vossa recompensa nos gozos da Terra e na satisfação do vosso orgulho?
Já recebestes a vossa recompensa, tal qual a quisestes.
Nada mais vos cabe pedir; as recompensas celestes são para os que não tenham buscado as recompensas da Terra.
Deus procede, neste momento, ao censo dos seus servidores fiéis e já marcou com o dedo aqueles cujo devotamento é apenas aparente, a fim de que não usurpem o salário dos servidores animosos, pois aos que não recuarem diante de suas tarefas é que ele vai confiar os postos mais difíceis na grande obra da regeneração pelo Espiritismo. Cumprir-se-ão estas palavras:
“Os primeiros serão os últimos e os últimos serão os primeiros no reino dos céus.”
– O Espírito de Verdade. (Paris, 1862.)
Então, filhos queridos, as recomendações de todos nós para as diversas casas de Deus são resumidas na solicitação da tolerância recíproca, do respeito ao semelhante, do carinho para com todos, do trabalho incessante no Bem e na Vigilância sobre si mesmo.
Tal esforço não é somente de minha parte.
Todos os espíritos em tarefas no Bem estão empenhados nessa batalha cuja bandeira poderemos igualmente empunhar, unindo-nos no mesmo objectivo, encarnados e desencarnados.
Nas horas difíceis da separação do joio e trigo não haverá favorecidos da sorte, nem privilégios de qualquer tipo.
Muitos gritarão, como diz o Evangelho:
“Graça! Graça!”
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:35 pm

E escutarão a resposta:
“Por que pedis graça, vós que não tivestes piedade de vossos irmãos, e que recusastes lhes estender a mão, vós que esmagastes o fraco em lugar de o sustentar?
Por que pedis graça, vós que procurastes a vossa recompensa nas alegrias da Terra e na satisfação do vosso orgulho?”
Bezerra sorriu, demonstrando ter encerrado a orientação colectiva, dando oportunidade para que, sob a direcção de Ribeiro, os trabalhadores retornassem às tarefas específicas nos diversos sectores daquela oficina do Bem.
Despedindo-se, reverentes e agradecidos, permaneceram ao lado do médico bondoso apenas o dirigente espiritual Ribeiro, Jerónimo, Adelino e Alfredo, aquele que, durante o dia, exercia as funções singelas de zelador do Centro Espírita, que havia sido especialmente convidado a permanecer um pouco mais com o grupo.
Explicando os objectivos da noite, Ribeiro prosseguiu a conversa:
- Atendendo à solicitação do nosso médico querido, pedi que permanecessem para entendimento mais alongado que nosso benfeitor deseja ter com vocês.
- Mas eu também? – perguntou, surpreso, o pobre Alfredo, espantado com a convocação inusual.
- Ora, meu filho, por que o espanto?
Você é dos mais assíduos e fiéis trabalhadores desta casa.
Não vejo motivo para surpresas – respondeu-lhe Ribeiro, sorrindo.
- É que meu trabalho por aqui não se equipara ao dos doutores. Sou somente um zelador... – tentou se justificar o humilde espírito, supondo-se na condição de trabalhador desqualificado.
- Para Deus, Alfredo, todos os trabalhos são essenciais e o seu representa um dos mais importantes no momento em que nos encontramos.
Logo depois, transferiu a Bezerra a palavra para as recomendações faltantes.
- Como disse Ribeiro, filhos do meu coração, estamos às vésperas de importantes transformações colectivas que ensejarão profundas mudanças na face planetária.
Nosso trabalho é intenso e são muitas as exigências que pesam sobre os servos do Cristo, a se sacrificarem ao limite de suas forças para compensarem com o idealismo e o amor aquilo que lhes pareça faltar em força e conhecimento.
Por isso, gostaria de convidá-los a excursão de aprendizado e adestramento que os ajudará a melhor compreender as medidas que precisam ser implementadas nesta instituição, seja em relação às entidades que chegam, seja atinente aos trabalhadores encarnados verdadeiramente dispostos ao serviço.
Ribeiro não poderá deixar a direcção da tarefa por agora, mas os outros três estão convidados, se puderem se ausentar por algumas horas.
Depois de se despedirem de Ribeiro, a quem eles estavam vinculados pelos laços do dever espiritual naquela instituição, deixaram o recinto dirigidos pela vigorosa vontade de Bezerra e tomaram o rumo do espaço terrestre para melhor compreenderem a tarefa que os aguardava.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:35 pm

14 - EXCURSÃO REVELADORA
Conduzidos por Bezerra, o grupo rumou para o alto, aproveitando a escuridão da noite sobre o Brasil.
Numa viagem ascendente rápida, atingiram um nível de onde se podia vislumbrar toda a Pátria do Cruzeiro e, ainda, o contorno das outras nações irmãs, igualmente embaladas pela noite que abrangia o continente e parte dos oceanos.
- Daqui, filhos, podemos observar alguns detalhes interessantes que só o olhar espiritual consegue divisar.
Observem a superfície escura do país que nos recebe com suas generosas concessões.
Olhando para o solo escuro embalado pelo véu nocturno, a visão espiritual era capaz de identificar não somente a luz das cidades rutilando como pequeninos pirilampos ao sabor das emanações da atmosfera; Adelino e Jerónimo, com maior acuidade espiritual, observavam espessas nuvens escuras planando sobre vastas regiões do continente, concentrações estas que se mantinham mais densas sobre os maiores centros urbanos, onde pareciam ser densa fuligem produzida por incessantes emissões poluentes.
Alfredo, ainda preso ao corpo físico pelo laço de energia, não observava a cena com a mesma riqueza de detalhes, ainda que visualizasse a vastidão de manchas escuras espalhadas por todas as grandes cidades do continente sul-americano.
Amparado pela acção poderosa de Bezerra, Alfredo viu ampliadas suas capacidades de percepção para que observasse com o aproveitamento desejado.
- Meu Deus, o que é isso, doutor?
Parece fumaça da queima de petróleo?
– perguntou, espantado, com sua pouca familiaridade com fenómenos daquele tipo.
- Não, meu filho. Se fossem incêndios de refinarias, ainda assim seria menor o prejuízo para os encarnados, porque o esforço dos bombeiros, mais cedo ou mais tarde, conseguiria apagá-los – explicou Bezerra.
Estamos diante da criação constante da mente dos próprios homens, Alfredo.
Graças a eles, a massa escura, assemelhada a fuligem betuminosa, se eleva constantemente, originando-se na impropriedade de pensamentos e sentimentos.
Então, volta-se contra os próprios encarnados, abastecendo os com os miasmas que criam. Se se tratasse de uma fumaça tóxica do campo atmosférico, o vento as dissiparia e os fenómenos da natureza minimizariam o seu impacto. Entretanto, dotada de especiais características, dentre as quais a da imantação magnética, as suas estruturas densas permanecem sobre os centros que as exalam, na multiplicação das angústias, na falta de disciplina de comportamentos, nos gastos fluídicos de teor inferior.
As condutas mentais e emocionais das pessoas são a matriz de tais nódoas colectivas pesando sobre os núcleos populacionais que os fomentam.
Observando outras áreas menos afectadas, Alfredo arriscou:
- Quer dizer então, doutor, que nestas outras partes menos enegrecidas, tem gente pensando ou praticando menos maldade?
Sorrindo diante da observação ingénua, mas sincera, Bezerra respondeu:
- Bem, Alfredo, poderíamos dizer que, nestas outras áreas, há “menos gente”.
E como há menos habitantes fornecendo emissões negativas, os que habitam os centros menos povoados contam com a bênção de serem menos atacados por todas as energias inferiores.
Há pensamentos inadequados também, mas as forças inferiores, menos concentradas por terem menos fontes de emissão, acabam sendo neutralizadas mais rapidamente pelas forças reequilibrantes do magnetismo da própria natureza.
Além do mais, estes centros menores têm menos armadilhas para seus habitantes, menos opções de lazer dilacerante, destruidores do equilíbrio do Espírito.
Se observarmos as rotinas nocturnas das grandes cidades, perceberemos que o avançar da noite é a senha para o desabrochar de todos os tipos de devassidão, sob a justificativa de espairecimento ou de diminuição do estresse diário.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:35 pm

Isso já não é visto com tanta intensidade nas cidades menores nas quais, à excepção de uma ou outra festividade ocasional, as pessoas se recolhem mais cedo à intimidade de seus lares, mantendo uma rotina menos exaltada, favorecendo o equilíbrio emocional dos seus habitantes.
- Mas e as pessoas boas que vivem nesse oceano de fuligem? Acabam prejudicadas por tais vibrações da mesma forma?
- Bem, meu amigo, todos sabemos que estamos no meio com o qual nos afinizamos e que cada qual é responsável pela construção de suas próprias fronteiras fluídicas.
Então, seja por idealismo, seja por necessidades evolutivas, seja pelas duas causas, inumeráveis criaturas encarnadas se acham nestas condições, vivendo e trabalhando no meio desse cipoal de conflitos vibratórios, precisando manter o testemunho do Bem.
E, se assim estiverem atentas, construirão para si quais “casulos” protectores que repelirão a acção inferior dessa massa viscosa e deletéria, além de se sintonizarem com as forças sublimes da Vida Superior que sustenta seus adeptos com recursos energéticos indispensáveis para o abastecimento do soldado em pleno campo de batalhas da existência.
Vamos, então, observar que, nas diversas regiões de uma cidade, existirão concentrações de energia positiva, sobre as quais a densidade escura não é capaz de pairar.
Como vórtices poderosos, nessas áreas se localizam instituições amorosas dedicadas à construção de uma nova consciência, atraindo os Espíritos Superiores, que aí se concentram para espalharem mais e mais a semente do Bem e as orientações para as horas difíceis.
Os três acompanhantes seguiam observando as cidades humanas recobertas pela fuligem mental constando que, no seio escuro e macilento daquele monstro em forma de nuvem, brotavam pequeninos fulcros luminosos, algo semelhantes a tenros brotos que emergiam do solo lodoso pela ruptura da casca sob a terra.
Eram sementes de força que, aqui e acolá, conectavam a realidade humana às emissões superiores, segundo a descrição que Bezerra seguia lhes dando da cena sob seus olhares:
- Essas pequena pérolas de luz que vêem surgir, apesar da densa nuvem que recobre a Terra, são centros religiosos, hospitalares, educacionais que ainda mantêm uma forte vivência no ideal superior do Espírito e na defesa dos valores do Bem, da Paz, da Esperança ou da Fé.
Por esse motivo, são amparados pelas forças superiores como celeiros que sempre recebem a carga dos grãos sublimes para que prossigam na difícil tarefa de manter acesa a luz da virtude no âmago da tempestade.
Assim, observem que, provenientes do Alto, conectam-se tais sementinhas às emissões luminosas de que havia-lhes falado antes de iniciarmos nosso passeio, reconhecendo o valoroso esforço para superarem as adversidades fluídicas do ambiente onde se enraízam, vencendo a escuridão das nuvens turbulentas e dos pensamentos inferiores para porto seguro ou abrigo salvador.
Referindo-se de maneira específica sobre elas, Bezerra continuou:
- Os hospitais são núcleos onde a dor física reconduz o espírito do enfermo a reflexões superiores, ajustando-o a novos padrões.
Com isso, a transformação para o Bem que não se conseguiu fazer em décadas de saúde pode ser conquistada em algumas semanas de dor que, juntamente com a inspiração dos amigos invisíveis, possibilitará a cirurgia moral do doente através da renovação de conceitos e da modificação de projectos.
Certamente que muitos se permitem a melhoria apenas por alguns dias, enquanto se mantenham vítimas da dor.
No entanto, a casa hospitalar na Terra tem sido o jardim da infância da elevação do Espírito.
Se este não desejar tornar-se um bom aluno, não poderá, mais tarde, acusar a Providência de não tê-lo ajudado.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:36 pm

Além do mais, é no Hospital terreno que a maioria dos enfermos encontra a última pousada antes da volta à vida verdadeira na qual vive seus últimos momentos no corpo denso.
Isso também é um factor benéfico que permite ao mundo espiritual auxiliar no preparo adequado de tais transições, naturalmente que levando em consideração as peculiaridades de cada caso e o merecimento do enfermo para o tipo de ajuda que lhe esteja disponível no momento da morte.
Por isso, essas casas de dor educativa recebem os eflúvios de Amor directamente do coração do Cristo.
Já os centros educacionais que procuram infundir conceitos elevados nas consciências, são as ferramentas de Deus que a Providência utiliza para tentar corrigir o mal antes que o parque hospitalar precise ser accionado.
Através do ensinamento, das lições que são compartilhadas pelas inteligências em crescimento, a Bondade do Pai ampara aqueles que poderão evitar os erros graças aos esclarecimentos que recebam.
Professores abnegados, homens e mulheres pouco reconhecidos pela sociedade das aparências são considerados por Deus como os Embaixadores da Nova Era, escultores do Novo Homem, fomentadores de Novos Horizontes de onde podemos considerar, sem qualquer exagero, que um único e devotado professor é encarado pelos Espíritos Superiores, como um verdadeiro CENTRO DE PROFILAXIA, um centro de difusão de medicamentos poderosíssimos para a cauterização de pequenas feridas nascidas da ignorância.
Ao espalhar não apenas o saber formal das diversas áreas do conhecimento, mas, igualmente, o bom exemplo a uma juventude cada vez mais desguarnecida de parâmetros de nobreza e de limites para seus comportamentos, ensinando boas maneiras, cultivando a afectividade que os lares têm sido impotentes para transmitir, cada mestre-escola é um enviado de Deus ao campo de batalhas da vida humana.
Então, as escolas de todos os níveis onde persistam os ideais no coração de seus dirigentes e trabalhadores são tão importantes quanto os Hospitais, merecendo o amparo sublime das Forças Superiores para prossigam instigando boas coisas a todos quantos se candidatem à renovação interior, transformando-se em seres humanos mais Humanos.
Ao escutarem tais revelações, os acompanhantes de Bezerra se surpreendiam, diante de conceitos tão superiores externados em frases simples.
Jamais haviam imaginado que hospitais e escolas recebiam do Alto tão elevada catalogação, ainda que não lhes fosse novidade a existência de luminosas entidades em tais ambientes, prestando relevantes serviços de salvação.
Mas ainda faltava o último núcleo a ser abordado:
- Sim, meus filhos, estão esperando que os esclareça sobre as igrejas, não é?
Sorriram, indicando que eram unânimes nessa expectativa.
- Pois bem.
Cada igreja sinceramente voltada para a transformação moral de seus membros, a começar dos próprios dirigentes, também se erige em um pilar salvador que recebe a mesma luz, directamente do Coração Augusto do Divino Mestre.
Para tanto, como já lhes disse anteriormente, não é suficiente que sejam instituições formais, com prédios edificados, com religiões definidas por cultos ou cerimónias, ritos ou pregações e um Evangelho de papel.
Para o Divino Amigo, o lar construído em bases de bondade e fé é uma igreja igualmente merecedora do benefício de sua atenção directa.
Então, na questão da chamada repartição da Luz Superior, encontraremos Casas de Deus nas quais seus dirigentes e seus membros não conseguiram estabelecer o laço com essa claridade sublime porque estão enredados nos interesses mundanos e no empreendedorismo da fé comercial, ao passo que, em inumeráveis núcleos familiares, casas humildes de gente simples, encontraremos a réstia luminosa que cai do alto e o outro foco que brota de dentro delas unindo-se em um consórcio harmónico, por haver a vivência das virtudes cristãs entre seus membros, marcados pela atmosfera espiritual elevada, pela vigilância no Bem e pelo carinho entre seus moradores.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:36 pm

Desconsideradas estas agremiações políticas ou sociais que se autodenominam igrejas, outras existem que certamente contam com o amparo superior porque são núcleos em que aqueles que lá comparecem se irmanam no Idealismo superior, que é um dínamo transformador das condutas.
Além do mais, aquelas em que a mensagem de Jesus chega directamente aos corações famintos são celeiros benditos, matando a fome de afecto, de carinho e compreensão de todos quantos lá permaneçam.
Todas as casas religiosas que se empenhem em transformar os homens pela boa palavra e pelo bom exemplo, são vórtices luminosos em contacto directo com o Coração do Senhor.
Dentro desse critério inicial, as casas espíritas são especialmente dotadas de ferramentas libertadoras da consciência pela facilidade no entendimento das Leis do Universo e sua aplicação nos problemas da vida, o que gera a melhoria da convivência graças à fé raciocinada que se transforma na prática diária dos postulados do Evangelho Vivo.
No entanto, mesmo dentre aquelas que se dizem espíritas, muitas há que não conseguiram construir essa ponte luminosa, em função da deficiência de seus dirigentes, da insinceridade de seus membros, da invigilância daqueles que a ela se achegam, interessados em resolver problemas da Terra usando os recursos do Céu.
Não pensem, porém, que não existam espíritos generosos amparando as necessidades dos encarnados que procurem a protecção das igrejas em geral, apenas porque não estejam directamente conectadas com as energias superiores.
Mentores espirituais, trabalhadores do Bem, agentes da Esperança nelas estagiam da mesma forma, com a dupla função de amparar as necessidades emergentes e de, no mais breve espaço de tempo, ajudar os responsáveis e os trabalhadores a que se elevem também, pela superação de suas diferenças, pelo calar dos conflitos, pelo perdão e pelo DESINTERESSE REAL.
Através de instituições, de mensagens, de sonhos, de instruções escritas, vão procurando inspirar os integrantes de toda as Casas de Deus a compreenderem melhor a missão que lhes cabe e se esforcem para que, efectivamente, a possam desempenhar com correcção e dinamismo cristãos.
Por isso, meus filhos, na questão das igrejas, nem todas possuem ligação com esse foco brilhante.
Em lugar de muitas dessas, acendem-se casinhas humildes, quartinhos alugados, residências de gente do povo que se tornam escudos luminosos mantidos pelo Alto na tarefa hercúlea de ajudarem Jesus pela vivência do Bem Verdadeiro.
Por esse motivo é que muitos conseguem sobreviver no ambiente tão hostil e vibratoriamente degenerado que está se instalando no meio dos homens, vinculando-se magneticamente àqueles amigos superiores que os sustentam sem se contaminarem com os miasmas pestilentos e desequilibrantes do ambiente circundante.
Os que são conscientes da necessidade de se melhorar através do serviço sincero no Bem podem sustentar suas lutas em um ambiente tão adverso, sem terem que respirar esses padrões fluídicos densos e corrosivos porque, o magnetismo da indiferença e da materialidade é atraído somente por aqueles que se identificam no mesmo nível energético.
Já os que se elevam através da sintonia positiva não são encontrados pela nuvem nem se deixam envolver por suas vibrações.
Admirados com a explicação que tão demonstrava a preocupação espiritual em garantir aos encarnados o “melhor com Deus”, ainda quando eles preferissem o “pior com os homens”, Jerónimo aproveitou o silêncio de Médico Amigo e considerou:
- Querido paizinho, seria possível que os encarnados conseguissem neutralizar essas nuvens densas que estamos vendo?
- Perfeitamente, meu filho.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:36 pm

E isso vai acontecer à medida que o Homem transforme suas preocupações e direccione a usina de forças que a sua vontade comanda para patamares elevados.
A vivência social, por enquanto, é uma tormenta energética, movida a interesses, disputas, competições e crimes, em sua maior parte perpetrada por criaturas que dizem ter algum tipo de religião, assim se considerando porque frequentam algum templo formal da fé.
No entanto, cairão vítimas da loucura em que vivem, por não mais poderem estar nessa uma dupla vida:
virtuosos à luz do dia e pecadores durante a noite.
Todos os que não estão modificando o padrão de vibrações de maneira efectiva, serão surpreendidos pelas transformações energéticas a que a Terra está submetida e, sem excepção, estarão se despedindo do berço quente e dadivoso para se hospedarem em outras atmosferas menos amistosas.
Quando prevalecer entre os homens a mente menos utilitarista e calculista, o ambiente começará a se modificar.
Até lá, as criaturas precisarão conviver com a violência social e pessoal, alimentada pelas forças densas que flutuam ao redor das consciências invigilantes.
Surgirão epidemias constantes como reflexo desse estado de coisas, uma vez que, ao se alimentarem de tais pestilências mentais, os encarnados estarão assimilando vibriões psíquicos que encontrarão campo favorável no campo energético dos homens e, com isso, farão eclodir as mais diversas enfermidades orgânicas, o que obrigará os insensatos a marcarem um encontro com a Misericórdia Transformadora ofertada pela religião nas diversas Casas de Deus ou a com a Justiça Soberana representada pela doença nos inúmeros Hospitais do Corpo.
Funcionarão os Hospitais, então, como a antessala do necrotério físico para os que se despedem da vida sem que tivessem acreditado na sobrevivência e antessala da vida verdadeira para os que terão que se deparar com a continuidade das experiências, assumindo os próprios erros.
O afastamento dos piores modificará o panorama dos que permanecem no mundo, diminuindo as pressões psíquicas sobre os que perseveraram a permanência num mundo melhorado.
Nos países ditos desenvolvidos, as massas obscuras que flutuam sobre seus núcleos civilizatórios, são ainda mais espessas.
Lá, em realidade, as tempestades serão ainda piores do que aquelas que estaremos observando por aqui.
Neles, o apego material é ainda mais profundo, e entre os ricos da Terra será travada a pior de todas as batalhas.
Serão eles que produzirão os maiores males que incidirão sobre suas próprias almas.
No mundo dourado, a religião é ainda mais superficial do que junto aos desafortunados e aflitos.
Estes, pelo menos, se acercam de Deus com humildade e arrependimento, enquanto que os outros, falando em termos de maioria e sem generalizações inadequadas, serão os que já conquistaram os tesouros que queriam.
Desejarão comprar o céu na hora decisiva, mas, então, perceberão que já receberam a recompensa que buscavam, nas facilidades da vida que desfrutaram sem qualquer consciência, com a indiferença dos tigres que devoram suas vítimas vivas, sem se incomodarem com seus lamentos.
Apontando para determinada região europeia, accionou o motor da própria vontade e conduziu o pequeno grupo em rápido deslocamento para aquela área da Terra.
O dia já banhava com seus raios solares as várias capitais do velho mundo e, apesar disso, as grandes concentrações escuras ganhavam dimensão e causavam ainda maior impressão desagradável.
Nem mesmo a luz solar ali era capaz de modificar a essência vibracional daquele oceano de pestilenta emanação.
- Estamos observando aqui não apenas as construções mentais dos integrantes desta parcela da humanidade.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:36 pm

Além delas, congregam-se sobre estes povos o peso de seus erros colectivos na liderança dos movimentos humanos.
Cada indivíduo, tanto quanto cada nação, carrega o fardo de seus equívocos e a coroa luminosa de seus acertos.
Assim, vivendo em um mundo favorecido pela riqueza e pelas conquistas materiais, a maioria delas embasada na espoliação, escravização e sofrimento de seus semelhantes ao longo de tantos séculos, estas nações deveriam assumir o efectivo papel de liderança moral da humanidade, compartilhando suas riquezas não apenas com o conta-gotas de acções caritativas aqui ou acolá.
Reverteriam o próprio destino caso fomentassem o progresso de maneira activa, no seio dos diversos povos que exploraram, ao mesmo tempo em que cresceriam na liderança moral da humanidade, defendendo valores perenes ao invés de se fundamentarem apenas nos interesses transitórios das trocas comerciais e dos negócios bancários.
O que se vê, entretanto, é a volúpia do egoísmo impedindo que todos se beneficiem.
Acostumados há milénios de exploração dos semelhantes, não estão maduros para a hora da devolução dos benefícios.
Fecham suas fronteiras, perseguem os que desejam se beneficiar de suas riquezas, criam feudos auto-protectivos para encarecer os produtos que são a base do sustento de nações miseráveis ou em desenvolvimento, sempre garantindo privilégios materiais, como se pudessem continuar a ser, indefinidamente, os piratas da humanidade.
Essas nuvens mais densas e as vibrações mais inferiores são o resultado de escolhas colectivas que pesarão sobre os membros de tais comunidades, chamados ao acerto de contas e à responsabilização pela fome no mundo, pelo mar de misérias morais, pela proliferação da violência, pela indústria do consumismo desenfreado graças à criação das ilusões, favorecendo a predominância da ignorância no seio dos irmãos da humanidade.
Isto está acontecendo neste exacto momento, meus filhos, diante do olhar sereno e firme do Governo da Vida, incumbido de direccionar os passos da Humanidade para caminhos melhores.
Esta é a hora decisiva dos destinos e, como vocês poderão ver, seja aqui sobre a Europa, sobre a Ásia e a América do Norte, as dores se multiplicarão de forma avassaladora, uma vez que a Justiça sabe aferir as contas sem se iludir com as aparências.
Em toda a Terra, os semelhantes se identificarão com os padrões que defendam e nos quais vibrem espiritualmente.
E já está acontecendo a transformação profetizada pelo Cristo quando de sua passagem pelo Mundo.
Venham comigo e vocês verão.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Sab Nov 10, 2018 8:40 pm

15 - O TRANSPORTADOR
Deslocando-se rapidamente pelo espaço sob a liderança de Bezerra, o grupo chegou a um ponto isolado no seio da floresta, em afastada região do solo brasileiro.
A noite intensa e silenciosa se tornava ainda mais imponente aos olhares espirituais porquanto a escuridão ressaltava a beleza da colcha estrelada que se impunha sobre as imensas árvores naquele rincão isolado da Pátria do Cruzeiro.
No entanto, se na esfera física o olhar humano se limitaria ao mar verdejante das copas vegetais da vastidão intocada, na esfera espiritual o ambiente era absolutamente diferente.
Indescritível actividade transformava a atmosfera espiritual em um grande embarcadouro.
De todas as partes, chegavam veículos espirituais de diversas formas e tamanhos conduzindo contingentes de entidades necessitadas, vindas de diversos climas terrenos e astrais.
Observando a surpresa de seus acompanhantes, Bezerra se pôs a esclarecer às mudas indagações de todos:
- Como sabem, em todas as regiões da Terra se organiza a execução dos Planos Divinos para a melhoria da Escola Humana.
Dessa forma, em várias partes do planeta encontramos locais como este, para onde são levadas as entidades que, não tendo mais condições de se manterem num planeta que não respeitaram, nem em um padrão de conduta mental e emocional compatível com a nova ordem vibratória que se instala na Terra, já estão sendo recolhidos por activos trabalhadores espirituais com a missão de organizarem a retirada dos “incompatíveis”, bem como seu transporte para o centro de espera onde se adaptarão para os novos destinos que os aguardam.
Talvez lhes pareça surpreendente a existência de tal quantidade de aparatos e veículos indo e vindo, mas, em realidade, estamos tratando com entidades que não dispõem de condições mentais de equilíbrio ou de entendimento para agirem por si mesmas, acompanhando deslocamentos dirigidos por espíritos de maior evolução.
Não nos esqueçamos de que, em toda a caravana, as limitações dos mais fracos costumam definir as condições do deslocamento para o grupo.
Então, a bondade divina se ocupa em produzir meios menos demorados e difíceis para que o trabalho do Bem tenha a continuidade necessária no prazo estabelecido.
Tais transportadores espirituais existem em toda esta zona vibratória servindo, ao mesmo tempo, de ambulância que atende às necessidades de cada espírito e de transporte para a zona de reunião, a fim de encaminhá-los.
Observando o campo a perder-se de vista, Jerónimo, Adelino e Alfredo estavam impressionados.
- Já havia visto diversos tipos de veículos, inclusive em apoio oferecido ao trabalho das diversas instituições religiosas na Terra, notadamente casas
espíritas, para o benefício e o encaminhamento de grandes quantidades de almas para níveis vibratórios menos densos – falou Jerónimo, aproveitando a pausa de Bezerra.
No entanto, jamais presenciei trabalho em uma escala tão gigantesca como este.
- Nem eu – acrescentou Adelino.
- Sim, meus filhos.
A envergadura da empresa está sempre condicionada pela dimensão dos objectivos.
Quando falamos em termos de auxílio espiritual para grupos de entidades que são esclarecidas ou amparadas nas reuniões espirituais, certamente que se faz necessária uma forma mais apropriada para o seu transporte, mormente para as adormecidas ou inconscientes que já estejam capacitadas para receber o auxílio em uma outra esfera vibratória.
Assim, os veículos colectivos de transporte são usados em abundância para os fins colimados, em nome do Amor Maior.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 11, 2018 7:45 pm

No entanto, o que estamos presenciando neste momento, não é apenas o deslocamento de entidades de um plano magnético denso para outro menos denso.
Estamos observando os preparativos para a mudança de planeta.
Imaginam vocês, que as modificações vibratórias são extremamente mais graves do que no primeiro caso.
Observando que os amigos ainda não haviam se dado conta de toda a extensão e envergadura daquela actividade, Bezerra continuou explicando:
- Estamos visualizando o campo de pouso onde os transportes espirituais de diversas regiões do continente sul-americano se congregam com a finalidade de entregar entidades cujo teor vibratório tenha se tornado incompatível com as novas exigências espirituais e morais da Humanidade terrena.
Estes espíritos foram retirados de inumeráveis centros religiosos, de instituições públicas, de moradias dos encarnados, de furnas trevosas, cada um deles em um estado vibratório e evolutivo muito deficiente e com níveis energéticos muito díspares.
Equipes de espíritos especializados em visita a todos os centros da civilização terrena se encarregam de recolher tais criaturas, usando a energia necessária para que não frustrem as Leis Soberanas, mas sem as violências incompatíveis com a Bondade.
As instituições religiosas, nas quais se concentram energias menos inferiores devido à elevação de sentimentos e pensamentos, encontramos um contingente mais volumoso de espíritos aflitos que procura entendimento e reforma verdadeira. Como Deus não deseja o sofrimento do culpado, mas a sua modificação, tais núcleos da fé representam a última oportunidade de mudança real através do arrependimento sincero e do impulso de transformação que se demonstre.
No entanto, como já lhes foi explicado, não será com arrependimentos de ocasião, motivados pelo medo do futuro, que os espíritos conseguirão impedir que o destino se imponha com sua força sobre eles.
Poderão acordar para o entendimento e, dessa forma, ser encaminhados para as lições que lhes caibam ao caso pessoal, seja em povos terrenos menos avançados, seja no novo mundo que aguarda por espíritos menos desenvolvidos que os povos primitivos que lá habitam.
Fora de tais ambientes, onde a oração e os conceitos espirituais podem facilitar a meditação nos rebeldes e indiferentes, pela acção do Bem como critério de selecção segundo o grau de afinidade e sintonia, nas outras partes do continente em foco, nas cidades, nas ruas, nas casas, nos locais públicos, os espíritos executores da Justiça também promovem a selecção directa e a organização da retirada.
Trata-se de um trabalho lento, mas constante.
Alfredo, impressionado, aproveitou para perguntar:
- Mas, paizinho, e se algum desses não aceitar o convite e desejar continuar agindo no Mal ou, se for o caso, procurar fugir da presença de tais espíritos?
- Nada está improvisado, Alfredo, e a Inteligência do Universo sabe encontrar todos os que serão passageiros da última viagem, mas não imaginemos os Bons Espíritos transformados em uma milícia caçadora de fugitivos, como um pelotão de polícia. As qualidades espirituais superiores dispensam as grotescas cenas de perseguição própria dos filmes de acção.
O processo é dirigido pelos chamados Espíritos Executores cujas forças, projectando-se sobre os réprobos, os envolvem de forma que a maioria deles se rende pacificamente porque a consciência que se lhes desperta de súbito identifica as próprias culpas e entende ter chegado a hora do ajuste indispensável.
A chegada desses Espíritos Executores é interpretada pelos que se condenaram como o encontro com o Anjo da Verdade, aquele que não se consegue enganar e que, dócil e benevolente, vem libertar o infeliz do acúmulo do mal que o escravizava há muitos séculos.
Então, em seu íntimo, o espírito recorda os compromissos não enfrentados, os erros e crimes cometidos, identificando a real situação de sua alma e o desperdício da última oportunidade de renovação no sentido da salvação de si mesmo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 11, 2018 7:45 pm

Sob a vibração extremamente amorosa e imponente dos Executores da Celeste Justiça, deixam-se carregar sem oposição violenta, encaminhados para os veículos de transporte onde, graças ao ambiente preparado pelos fluidos calmantes, veem-se invadidos por um torpor agradável e adormecem para a viagem que os espera.
Durante esse sono, recebem a oportunidade de resgatar do inconsciente as lembranças vívidas de seus crimes, as promessas não cumpridas, a imensa gama de equívocos já praticados e que precisam de corrigenda.
Quando despertam para os novos destinos, trazem em si mesmos a noção muito clara dos motivos pelos quais precisam aproveitar a nova oportunidade com novos projectos.
Entretanto, Alfredo, existem entidades menos maduras, espíritos de uma primitividade atroz e que, em casos tais, precisam ser submetidos por forças imperativas que os imobilizam na inconsciência temporária, favorecendo a sua incorporação à caravana dos degredados da Terra.
Para os que fogem – como você quer saber – tais Espíritos Executores sabem que, agora ou depois, eles serão encontrados e resgatados em piores condições.
Por isso, deixam-nos por mais algum tempo até que o resgate os encontre, o que acontecerá sem nenhuma margem para equívocos.
E isso é assim porque estamos falando de magnetismo.
Misture a limalha de ferro a um amontoado de farinha.
Num primeiro momento, parecerá muito difícil resgatar todo o ferro perdido nesse meio.
Entretanto, aproxime um ímã desse agregado e você separará facilmente o ferro da farinha, até a última fagulha, porque a atracção é irresistível.
Assim, tais espíritos sempre serão achados.
- Mas, doutor Bezerra, cada um deles está em um nível energético e de entendimento.
Devem existir cuidados específicos para o transporte sem prejuízo para o nível vibratório de cada um, não? – indagou Adelino, desejando aprender mais.
- Bem, esse facto é levado em conta pelas inteligências responsáveis pela organização do translado.
Assim, o sono já é um factor facilitador da tarefa, uma vez que, adormecidos, cada um está impedido de se assustar com o estado repugnante em que o outro se encontra.
Além disso, em cada transportador existem sectores adequados a espíritos de níveis diferentes, o que, por certo, os preserva de maiores choques.
É por isso também, que tal esforço se realiza num ambiente agreste e virgem, no seio da floresta, para que as vibrações densas dos aglomerados humanos não tornem ainda pior esse processo.
Temos aqui espíritos que são retirados de várias esferas inferiores, localizadas no interior da crosta, além daqueles que estão orbitando o nível dos próprios encarnados.
Ao chegarem aqui, são seleccionados pelos padrões que ostentem em si mesmos e encaminhados ao grande navio.
- Como assim? – perguntou Alfredo.
Já estou surpreso com o tamanho de toda essa operação.
Ainda tem algo maior?
Diante dos comentários inocentes do zelador humilde, Bezerra puxou-o pelo braço e apontou para um ponto mais distante no interior da floresta.
A região onde se localizavam os atracadouros de todos estes veículos espirituais de transporte, naquele centro de triagem, jazia iluminada por baça claridade, cuja finalidade era a de iluminar sem produzir choques desagradáveis e intensos nos que chegavam.
Um pouco mais além, entretanto, como se estivesse flutuando sobre o vasto corpo líquido que fluía sobre as terras brasileiras, imensa nau de dimensões nunca vistas pelo olhar humano se postava, serena.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 11, 2018 7:45 pm

Os três acompanhantes de Bezerra ainda não haviam percebido os contornos de tal veículo gigantesco e que servia de destino para todas as entidades que chegavam àquele local.
Somente quando o venerando Médico dos Pobres apontou em sua direcção é que, fixando o olhar, puderam identificar a ciclópica embarcação.
- Mas é um navio!? – exclamou Alfredo, entre intrigado e indagador.
- Sim, meu filho.
É uma espécie de navio, mas que é governado por princípios energéticos diferentes daqueles que conduzem as embarcações humanas pelos oceanos.
Para lá são encaminhados todos os que chegam e, como cada qual tem suas peculiaridades, em cada nível desse transportador espiritual encontramos ambiente adequado às vibrações de seus ocupantes.
Níveis e subníveis são usados para a separação fluídica, segundo o teor energético, protegendo e preservando seus ocupantes de choques desnecessários, até que cheguem ao provisório destino que os aguarda.
Cada embarcação desse tipo é capaz de receber ao redor de dois milhões de espíritos.
Uma vez completada sua ocupação, se deslocará deixando o porto livre para outra que a substitua na mesma tarefa.
Recordando-se dos ensinamentos das religiões tradicionais, Alfredo exclamou:
- É uma espécie de Arca de Noé!
- Só que ocupada apenas por espíritos humanos, adormecidos ou não, e encaminhados para a evolução em outro nível.
No entanto, a similitude é grande.
Gostariam de penetrar em seu interior para observar como se organiza?
- Era isso mesmo que ia solicitar ao senhor, doutor Bezerra – falou Adelino.
- Vamos até lá.
Deveremos obedecer às disciplinas próprias do ambiente para nos harmonizar com as rotinas internas na execução de tão complexas tarefas.
Com isso não criaremos obstáculos aos irmãos que lá militem.
Entendendo as advertências, acompanharam o amigo e instrutor para a averiguação do interior da vasta nave de transporte espiritual.
Chegando ao nível principal, Bezerra dirigiu-se ao Espírito que tinha as funções de comando, que parecia conhecê-lo desde longa data, tal a familiaridade respeitosa com que se cumprimentaram.
- Prezado Alírio, estimaria contar com a sua permissão para ingressar no transportador com um grupo de irmãos em tarefas de instrução.
- Sua presença entre nós, amado doutor, sempre será motivo de satisfação e alegria, sobretudo quando acompanhado de outros companheiros que se devotem à aquisição de conhecimentos.
Para tanto, colocarei à disposição de todos nosso irmão Lucas, que poderá levá-los a qualquer parte do transportador a fim de observarem o que desejam.
Somente a partir do nível 25 até o 28, os mais inferiores, é que aconselharia a visita com escolta uma vez que, mesmo contidas em seus quartos de disciplina, tais entidades podem se tornar violentas quando percebem a presença de alguém em seus domínios, como pensam ainda estar.
Não se impressionem com os gritos nem com o odor do ambiente porque, para o nível de consciência e evolução em que se encontram, a falta de controle deles próprios impede que se apresentem em outro estado de densidade ou de organização da própria forma.
- Agradecemos, Alírio, e esteja certo de que não deixaremos de seguir à risca as suas recomendações.
Tão logo deixaram o posto de comando, aproveitando a oportunidade para o entendimento directo, Bezerra solicitou ao auxiliar que os acompanhava que explicasse aos novatos amigos como se estruturava aquele veículo.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 11, 2018 7:46 pm

Sem perda de tempo, Lucas iniciou breve relatório:
- Nossa finalidade é o transporte colectivo de espíritos para fora da zona de influenciação imediata do magnetismo terrestre.
Por isso, até que estejamos na área de destino final deste deslocamento, esta embarcação é dotada de aclimatadores fluídicos para os diferentes graus evolutivos de entidades nele acomodadas.
Para causar-lhes o menor impacto possível, temos os níveis inferiores, onde a escuridão e a densidade dos elementos se assemelham aos ambientes onde algumas estagiavam.
Níveis mais acima, já se pode respirar uma outra atmosfera, mesmo que nos encontremos ainda, na fase penumbrosa.
Aí, a incidência magnética específica mantém os seus respectivos passageiros em repouso terapêutico visando os trabalhos da consciência.
E assim por diante, cada nível tem suas peculiaridades e necessidades.
Não é difícil entender também o panorama em que cada um deles se apresenta.
Os níveis menos densos comportam camas individuais em vasto ambiente colectivo, guarnecidas por enfermagem específica para as reacções decorrentes do tratamento a que estão sendo submetidos.
Já nos níveis um pouco mais densos, tal organização é dispensável porquanto estas entidades não se aclimatam senão em estados de primitivismo puro, assemelhando-se o local aos de suas antigas habitações, quais grutas ou tocas, de maneira a melhor lhes garantir serenidade, já que muitos deles não são beneficiados com o entorpecimento da consciência.
São os que chegam aqui imobilizados em decorrência dos jactos de energia de contenção.
Além do mais, por estarem reunidos em seus antigos bandos, com entidades de igual teor evolutivo, isso coopera para a sua tranquilidade e lhes causa uma sensação de segurança.
Mais abaixo, encaminhando-nos para os níveis ainda mais inferiores, estão os que precisam ser retidos em calabouços, a benefício deles mesmos e do equilíbrio geral porquanto não possuem condições de saírem do primitivismo animal em que ainda se encontram.
Depois desse rápido panorama geral sobre as organizações internas, Lucas passou à explicação das rotinas da imensa Nau Transportadora.
- Permanecemos aqui até que o nosso contingente limite seja atingido e, então, partimos para o destino que nos espera a fim de entregarmos nossos infelizes irmãos a outros trabalhadores da justiça, para que sigam com a Execução dos Decretos Divinos.
- E quanto tempo demora para que este transportador esteja com sua lotação esgotada? – perguntou Jerónimo.
- Bem, depende muito da rotina dos encarnados que, às vezes, cooperam bastante para que o volume de espíritos se complete mais depressa.
No entanto, os veículos que nos chegam provenientes dos diversos países do continente sul-americano, ultimamente têm abastecido cada transportador num prazo que vai de um a dois meses, em média.
A conversa ia nesse ritmo quando, descendo por mecanismo que se assemelhava a elevador terreno com aclimatador vibratório para cada nível de destino, os integrantes do grupo começaram a sentir um intenso mal-estar.
Lucas, percebendo o incómodos dos novéis visitantes que acompanhavam Bezerra, desculpou-se e informou:
- Ah! Estão passando mal, não é?
Esqueci de alertá-los para as modificações de cada nível.
Aqui, neste transporte, encontram-se concentrados em pequeno espaço, vários tipos de campos magnéticos que, na Terra, ocupam imensidões.
Por isso, as vastidões que separam os diversos níveis vibratórios impedem que percebamos as mudanças bruscas.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Ave sem Ninho em Dom Nov 11, 2018 7:46 pm

Neste ambiente, entretanto, a mudança de campo é muito rápida e, assim, é necessário accionar nosso potencial de concentração para a adaptabilidade aos níveis que visitaremos, exigindo de nossa vigilância a sintonia com cada ambiente em que penetraremos.
Para facilitar a rapidez de nossa adaptação, esta câmara de deslocamento interno é dotada de mecanismos que favorecem a abrupta modificação de nível, sem os contratempos normalmente disso decorrentes.
Mas como vocês são novatos por aqui, é natural que sofram um maior impacto quando nossas atmosferas pessoais são igualadas à do ambiente externo na qual penetraremos quando estivermos adequadamente aclimados.
Com excepção de Jerónimo e Bezerra, experientes lidadores dos diversos campos magnéticos, Adelino e Alfredo precisavam exercitar a vontade através da oração e da assimilação do magnetismo diferente à medida que desciam.
Chegando ao primeiro destino, assim que os sensores internos identificaram o equilíbrio vibratório de seus ocupantes em relação ao que os aguardava do lado de fora, as portas foram abertas automaticamente.
avatar
Ave sem Ninho

Mensagens : 82987
Data de inscrição : 07/11/2010
Idade : 62
Localização : Porto - Portugal

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Série Lúcius - HERDEIROS DO NOVO MUNDO / André Luiz Ruiz

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 3 de 6 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum